BESSA GRILL
Início » Destaque » Reforma Política; PMDB quer 10 anos de mandato para senador

Reforma Política; PMDB quer 10 anos de mandato para senador

A proposta correta é a de estabelecer para senadores o mesmo tempo de mandatos de presidente, governadores e deputados.

18/03/2015 12:08

 

eeabeac6be20150318112511A proposta de reforma política apresentada pelo PMDB como forma de reação às manifestações de protestos da população brasileira contém um absurdo que precisa ser rechaçado com vigor: o mandato de 10 anos para senador.
No geral, a proposta concebida pela Fundação Ulisses Guimarães (que deve estar se revirando no fundo mar) prevê o fim da reeleição, uma ideia polêmica, mas que parece gozar da simpatia popular e dos políticos, com mandatos de cinco anos para presidente, governador, prefeitos, deputados e vereadores. E aí o PMDB sai do tom: quer mandatos de 10 anos para senador, mantendo a estrutura de exercício de mandato com tempo dobrado de hoje.
Só existe uma justificativa para tamanho despautério: o Senado ser reduto do PMDB, até bem pouco tempo comandado por José Sarney e agora sob o controle de Renan Calheiros, ambos tido como expoentes do fisiologismo e da corrupção. Mas o bando é bem maior.
Não existe nada igual no mundo. Na verdade, numa proposta de reforma política mais séria, a própria existência do Senado deveria ser questionada. Como funciona hoje não há necessidade de duas Casas Legislativas. Uma bastaria.
A proposta correta é a de estabelecer para senadores o mesmo tempo de mandatos de presidente, governadores e deputados. Não há razão para a manutenção do privilégio de mandato com tempo diferenciado, muito menos de 10 anos.
O PMDB pretende colocar o Brasil na contramão do mundo e da história. Veja-se que em Cuba, por exemplo, discute-se limitar, mesmo com reeleições, os mandatos políticos em 10 anos, no máximo. Ou seja, depois de 10 anos, o político não poderia mais disputar nenhum mandato. Nem Cuba pensa em tão estapafúrdia heresia política.
Registre-se ainda que o Senado, no Brasil, por abrigar grande quantidade de políticos em fim de carreira, produz pouco e é muito conservador, com baixa contribuição para a gestão pública e democracia brasileira.
Assim não dá para aceitar essa proposta do PMDB. É hedionda.

 

Em tempo: com uma boa dose de humor negro e descambando para o politicamente incorreto, a indignação manda dizer que, com 10 anos de mandato, o Senado brasileiro corre o risco de virar uma casa funerária.

 

www.reporteriedoferreira.com  247    a ilustração foi captada do Diário de Pernambuco (blogs).