BESSA GRILL
Início » Política » Partidos conversam e discutem sobre composições para 2014

Partidos conversam e discutem sobre composições para 2014

11/02/2013 13:28

1LKPLB-1O presidente estadual do PMDB, ex-governador José Maranhão, disse que o ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo, será o candidato do partido a governador em 2014. Apesar de o partido ter anunciado, desde 2010, que Veneziano seria o candidato a governador na próxima disputa estadual, Maranhão declarou que é muito cedo para iniciar as costuras políticas que definirão as alianças e a composição da chapa majoritária.

“O tempo certo para fazer esse tipo de discussão é quando tiver mais perto da eleição, pois daqui para lá, muita água vai rolar debaixo da ponte”, previu. “Já disse que política não se faz em longo prazo, mas no seu próprio tempo”, complementou o peemedebista.

Com relação aos apoios, José Maranhão afirmou que tentará formar uma aliança mais ampla possível. No entanto, ressaltou que os demais partidos também devem ter a mesma pretensão. Segundo ele, se sairá melhor quem firmar parcerias sólidas.  “A política é a arte dos possíveis. As formulações artificiais não dão certo”, alertou.

De acordo com Maranhão, essa é a hora dos partidos conversarem entre si. “Para o PMDB, esse é momento de analisar o cenário político em todo Estado para só depois iniciarmos a costura das alianças”, finalizou o ex-governador.

Abílio diz que PTB seguirá Cássio 

Aliado do senador Cássio Cunha Lima, o PTB seguirá a orientação do tucano no que diz respeito à composição das alianças para a eleição de 2014. Foi o que informou o presidente estadual da legenda, Armando Abílio. “O PTB até agora é aliado de Cássio. Se ele for candidato, a tendência é ficar com ele. Se não for, vamos seguir a opinião dele”, disse o ex-deputado.

Armando Abílio realizará uma reunião em março para iniciar as discussões sobre 2014. Adiantou que o partido quer lançar o maior número possível de candidatos a deputado estadual e federal para aumentar a representatividade da legenda nas casas legislativas.

Abílio lembrou que, na eleição para o Governo, em 2010, o partido se dividiu no momento em que, oficialmente, declarou apoio ao ex-governador José Maranhão (PMDB). Porém, segundo ele, uma parte da legenda não seguiu a orientação partidária e marchou ao lado do governador Ricardo Coutinho.

“Para que isso não ocorra novamente, vamos esperar a decisão de Cássio. Quando ele se posicionar, decidiremos que rumo iremos seguir. Dizem que tem algumas questões jurídicas que o impedem de ser candidato. Vamos aguardar”, afirmou Armando Abílio. Além disso, ele disse que vai buscar espaço para o partido na chapa majoritária.

PSD está focado na reeleição

O PSD do vice-governador Rômulo Gouveia já oficializou apoio à ao nome do governador Ricardo Coutinho. Porém, não se sabe se continuará com a vaga de vice, já que o PSB tem a tendência de formar chapa puro sangue na disputa do segundo mandato. Pelo menos foi o que aconteceu em 2008, na briga pela prefeitura de João Pessoa.

Precavido, Rômulo avisou que o projeto do PSD está focado na reeleição do governador. “Vamos tentar fazer com que o partido participe da chapa majoritária”, disse. Sobre a vaga que o partido gostaria de ocupar, ele explicou que não tem preferência. “Podemos repetir a mesma chapa, mas também podemos disputar o Senado. O que importa é participar da chapa majoritária”, ressaltou.

Rômulo ponderou que não condicionará o apoio do seu partido à troca de espaço na chapa majoritária. “De maneira nenhuma iremos impor nada. Nós vamos conversar, até porque o projeto maior é à reeleição do governador o resto é consequência”, afirmou.

Com relação a uma possível candidatura do senador Cássio Cunha Lima ao Governo, Rômulo desconversou e preferiu apenas falar no que há de concreto. “Não vamos falar em hipóteses. Vamos falar apenas no que está concretizado”, pediu o vice-governador.

PRB: resposta após o Carnaval

Convidado para integrar o bloco das oposições, o PRB só dará resposta ao grupo formado pelo PT, PP e PSC após o Carnaval. O presidente estadual da legenda, pastor Jutay Meneses, que assumiu a vaga na Assembleia Legislativa deixada por Luciano Cartaxo, disse que vai conversar com as lideranças do partido para poder se posicionar.

“Nós não temos uma tendência no que diz respeito ao apoio à chapa que disputará o Governo em 2014. Nós apoiamos o prefeito Luciano Cartaxo em 2012, fazemos parte do seu governo, mas hoje o partido não está fechado para a próxima eleição”, disse o deputado.

Jutahy destacou que o bloco ainda não apresentou o nome que encabeçará a chapa majoritária e isso dificulta os entendimentos. Ele também reclamou da postura do deputado Anísio Maia (PT) que convidou, por meio da imprensa, o ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo, a ocupar a vaga de vice do grupo, e, também afirmou que o PT abriria mão da cabeça de chapa em prol do ministro Aguinaldo Ribeiro (PP).

“O PT ainda não tem nome e sequer foi posto em discussão quem seria esse nome. Então, não existe nenhuma candidatura do bloco”, criticou. “Não posso fazer parte de um bloco onde o convite à candidatos é feito sem combinar com os integrantes do mesmo”, complementou o parlamentar.

Sete devem marchar com o PSB 

Pelo menos sete partidos confirmaram que pretendem marchar com o PSB.  São eles o PPS, DEM, PDT, PT do B, PSL, PRTB e PV. A presidente estadual do PPS, deputada estadual Gilma Germano, disse que, no momento, o partido é aliado do governador Ricardo Coutinho (PSB) e trabalhará para reelegê-lo em 2014.

Porém, é preciso destacar que a legenda também abriga o vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira, ex-braço direito do governador. Bandeira deixou Ricardo Coutinho para se unir ao PT na disputa pela Prefeitura da Capital. Desta forma, pode ser que o desejo de Gilma seja frustrado, dependendo de quem serão os candidatos de oposição.

Por outro lado, Gilma ponderou que se até o meio do ano surgir um nome competitivo, a legenda pensará em lançar uma candidatura própria. “Se aparecer um nome que tenha viabilidade poderemos analisar essa possibilidade. Caso contrário, iremos apoiar o governador Ricardo Coutinho”, frisou.

DEM quer espaço na majoritária 

Aliado histórico do PSDB do senador Cássio Cunha Lima, o Democratas seguiu o tucano em 2010 na aliança com o PSB. Para 2014, o presidente de Democratas da Paraíba, Efraim Moraes, adiantou que irá pleitear espaço na chapa majoritária. No entanto, ressaltou que isso não será uma imposição em troca do apoio do partido.

“Nós vamos continuar na aliança que elegeu Ricardo Coutinho em 2010. Quando digo que vamos buscar espaço na majoritária não será de forma impositiva, mas através do entendimento”, explicou o ex-senador, que deseja disputar a vaga para o Senado Federal.

Porém, quando se cogita uma possível candidatura do senador Cássio Cunha Lima ao governo do Estado, como defende o presidente do PSDB Ruy Carneiro, Efraim desconversa e diz que não se pode trabalhar com hipóteses. “Se houver mudanças isso é o tempo que dirá”, disse.

 

Parlamentopb