BESSA GRILL
Início » Colunistas » MPE manda PF instaurar inquérito policial sobre suposta compra de votos: Levi Borges

MPE manda PF instaurar inquérito policial sobre suposta compra de votos: Levi Borges

21/08/2014 06:52

Armação do ex-secretário Sales Dantas passa a ser investigada por decisão da promotora Gláucia Xavier

O Ministério Público Eleitoral (MPE) instaurou inquérito policial para apurar a denúncia de suposta compra de prefeitos para as eleições deste ano. A armação de responsabilidade da Coligação “A Força do Povo”, que tem como candidato à reeleição o governador Ricardo Coutinho (PSB) , ficou conhecida como “farsa da compra do voto”. Através do ex-secretário de Estado da Pesca, Sales Dantas, tentou incriminar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato a governador pela Coligação A Vontade do Povo, em julho deste ano.

Passando-se por um assessor do senador Cássio, Sales Dantas chegou a oferecer dinheiro ao prefeito do município de Caiçara, Cícero Francisco da Silva, em troca de votos. Ato contínuo, não levando em consideração que cometeu vários crimes, requisitou a instauração de um inquérito policial para desvendar o caso.

Segundo o documento assinado pela promotora de Justiça Eleitoral Gláucia Maria de Carvalho Xavier, o MPE “requer que sejam procedidas investigações acuradas e criteriosas a respeito dos fatos narrados e promovidas diligências como audição de testemunhas, juntadas de documentos, tomadas de depoimentos de outras pessoas arroladas no curso das investigações policiais e outras cabíveis ao caso. Pugnando, desde logo, pela remessa dos autos para o Superintendente da Polícia Federal”.

Entenda o caso

No dia 24 de julho de 2014, a Coligação “A Força do Trabalho”, encabeçada por Ricardo Coutinho, apresentou em entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa (API), um áudio de uma conversa em que ex-secretário da Pesca, Sales Dantas, se passa por um assessor do senador Cássio Cunha Lima oferecendo dinheiro para comprar o apoio político do prefeito de Caiçara, Cícero Francisco da Silva.

No diálogo, o ex-funcionário do atual governo, oferece R$ 500 mil ao político para ter o seu apoio nas eleições do dia 05 de outubro. A farsa montada pelos adversários, que tinha como objetivo atingir a candidatura ao governo de Cássio (PSDB), “saiu pela culatra” e agora, o MPE pede instauração de inquérito policial para investigar os responsáveis pelo ato.

Redação com assessoria