BESSA GRILL
Início » Nacionais » Impasse no PMDB atrasa indicação ne Henrique Alves e obriga Dilma a decidir entre Renan e Eduardo Cunha

Impasse no PMDB atrasa indicação ne Henrique Alves e obriga Dilma a decidir entre Renan e Eduardo Cunha

15/04/2015 02:22

127630-dilmaA presidente Dilma Rousseff tentou ontem à noite mais uma vez acabar com o impasse em torno da nomeação do ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-PB) para ministro do Turismo, mas não conseguiu.

Dilma queria anunciar hoje a indicação de Henrique Alves.

Chamou ao Palácio o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a fim de convencê-lo a escolher um novo cargo para o atual ministro, Vinicius Lages, abrindo espaços para o ex-presidente da Câmara. Mas Renan se recusou a chancelar a troca.

Dilma atendia a um apelo do vice-presidente República, Michel Temer — recém-nomeado coordenador político do governo e presidente licenciado do PMDB –, que no domingo também se encontrou com Renan para convencê-lo a indicar um cargo para Lages, mas o presidente do Senado não aceitou.

Na argumentação de Renan, se ele aceitar a troca vai parecer junto a opinião pública que esticou a corda contra o governo em votações recentes no Senado apenas para conseguir um lugar para seu afilhado politico.

Renan também argumentou que, se, como disse Temer a Dilma, o Henrique Eduardo Alves é uma indicação do atual presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não faz sentido colocá-lo num ministério sob o comando do PMDB do Senado.

Eduardo Cunha, no entanto, tem dito que não está indicando Henrique Eduardo Alves. Que sua nomeação é uma promessa antiga do Palácio do Planalto e, portanto, um problema de Michel Temer, pois cabe a ele convencer a presidente a cumprir a promessa.

Renan, por sua vez, lançou definitivamente o problema para os ombros de Dilma. Disse a ela, no encontro de ontem, e a Temer, no domingo, que cabe à presidente da República resolver o impasse, simplesmente nomeando quem ela preferir. E que ele dá essa discussão como encerrada.

Em outras palavras, a presidente vai ter que decidir com quem brigar: com Renan ou com Cunha. No meio disso, está o vice-presidente Michel Temer, a quem caberia, como coordenador político, livrar a presidente do problema.

www.reporteriedoferreira.com   Por Ig