BESSA GRILL
Início » Política » Hugo Motta atua na linha de frente em defesa de Cunha análise de recurso na CCJ

Hugo Motta atua na linha de frente em defesa de Cunha análise de recurso na CCJ

Paraibano buscou ampliar a discussão na CCJ numa clara tentativa de postegar a cassação de Cunha.

13/07/2016 18:09

O deputado federal paraibano Hugo Motta (PMDB) atuou na linha de frente em defesa do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em reunião da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), nesta quarta-feira (13). A reunião teve o objetivo de analisar e votar o parecer do deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF) sobre recurso contra o processo de cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados, já aprovado pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.A reunião prossegue, confira ao lado.

O parecer do deputado Ronaldo Fonseca defende que seja anulada a votação do relatório final no Conselho de Ética por entender que deveria ter sido usado o painel eletrônico para o registro dos votos. Em vez disso, os parlamentares foram chamados ao microfone um a um para votar. Para a defesa, esse sistema influenciou o voto de alguns deputados.

Em uma sessão cheia de bate-boca, o deputado Hugo Motta foi voz ativa na reunião na tentativa de barrar a cassação de Eduardo Cunha. Ele chegou a afirmar que o seu grupo só queria “garantir a ampla defesa” dos parlamentares no CCJ.

Um requerimento propondo o encerramento das discussões e início da votação do recurso chegou a ser proposto, mas logo foi rebatido por Hugo Motta. Ele afirmou que o assunto é muito importante e pediu mais discussão numa tentativa clara de tentar postegar o andamento do processo já que a bancada anti-Cunha era maioria na sessão da CCJ.

Em outro momento, Hugo Motta chegou a apelar para o presidente encerrar a reunião da CCJ sem a votação do recurso, por conta da eleição para a presidência da Casa, que estava prestes a começar. A todo momento ele afirmava que já tinha ocorrido o sorteio da ordem dos nomes e dos discursos dos candidatos à presidência.

Ao mesmo tempo, deputados a favor da cassação de Eduardo Cunha defendiam o encerramento da fase de debate no colegiado, para que começasse logo a votação do parecer sobre o recurso de Cunha, evitando assim a protelação que poderia jogar a decisão para depois do recesso parlamentar.

Maranhão adiou o início da votação para Presidência

O presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu na tarde desta quarta adiar o início da eleição para o comando da Casa das 16h para 19h. A mudança de horário foi comunicada no plenário da Câmara por volta das 16h.
O adiamento tinha o objetivo de permitir que a CCJ prossiga com a reunião destinada a debater recurso do presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e para que os partidos possam ter mais tempo para negociar apoios aos candidatos à presidência da Câmara.

Na reunião da CCJ, a decisão de adiamento foi conhecida no momento em que defensores de Eduardo Cunha pediam o encerramento da sessão, que começou pouco depois das 10h, para que os deputados se concentrassem na eleição para a presidência da Câmara.
www.reporteriedoferreira.com Wscom