BESSA GRILL
Início » Política » EXCLUSIVO: Centro de Convivência de Pitimbu é despejado por falta de pagamento

EXCLUSIVO: Centro de Convivência de Pitimbu é despejado por falta de pagamento

15/04/2016 10:02

imagesO Centro de Convivência do município de Pitimbu, órgão vinculado a Secretaria de Ação Social, tendo a frente a Primeira Dama do Município Geilce Azevedo, conhecida popularmente por ” Guiga ” foi despejado do imóvel aonde funcionava por falta de pagamento do aluguel da Casa, o que vem prejudicando seriamente as crianças, jovens e idosos, bem como os funcionários que estão com os salários atrasados há mais de quatro meses segundo uma fonte ligada a STAS.

O Proprietário da Casa  deu o prazo de quarenta e oito horas para a desocupação do imóvel, sob alegação de impetrar uma Ação de Despejo via Justiça. Segundo comentários o imóvel foi alugado pelo valor de R$ 1.200,00, ocorre porém,  que fazem vários meses que o pagamento não vem sendo feito.

Todos os móveis, cadeiras, bureaus,  e demais objetos que pertencem ao Centro de Convivência de Pitimbu, foram colocados na área de uma residência alugada pelo Prefeito Leonardo Barbalho, aonde fixava residência, a respectiva Casa pertence a um Empresário da Cidade que esquiva-se em alugar o imóvel para o funcionamento do Centro de Convivência, temendo não receber o aluguel.

Há comentários de que o fato será levado ao conhecimento do Ministério Público em João Pessoa, a fim de apurar outras irregularidades que vem ocorrendo naquela instituição municipal,no que concerne o não pagamento de funcionários, dívidas contraídas em Mescadinhos da Cidade ” Fiado ” e outros problemas considerados de natureza grave.

A Primeira Dama do Município Geilce Azevedo ” Guiga ” em uma situação desesperadora recorreu ao seu Assessor José Neto, para intermediar o aluguel de uma Casa aonde o CC possa funcionar,ma, não surtiu efeito. O impasse continua

O QUE VEM SER O CENTRO DE CONVIVÊNCIA

1901895_1449310185304683_32511200_n (1)Nas unidades dos serviços, deveriam serem  atendidas desde crianças e adolescentes até o grupo da Melhor Idade.  Lá eles deveriam desenvolver atividades extracurriculares para as crianças e adolescentes, além de um esplendoroso trabalho com os jovens de outrora, com atividades laborais e de acolhimento em geral. Para que esse trabalho seja desenvolvido a Secretaria de Ação Social , recebe verbas federal para tal fim inclusive para pagar a folha de funcionários contratados para desenvolver tais funções.

O SCFV tem caráter preventivo e proativo, realizado em grupos, de modo a garantir aquisições progressivas aos seus usuários, de acordo com seu ciclo de vida. Destina-se a crianças, adolescentes, idosos em situação de vulnerabilidade. Serviço de Proteção Social Básica no Domicílio para Pessoas com deficiência. Parte-se do princípio de que a convivência no campo socioeducativo é uma oportunidade de vivência e afirmação de atitudes e valores que fortaleçam e despertem o prazer de viver em comunidade, a importância da vida, a aposta em si mesmo dentro de padrões sociais solidários e cooperativos. São subdivididos por ciclo de vida: o SCFV para crianças e adolescentes entre 06 a 15 anos, SCFV para adolescentes entre 15 a 17 anos, o SCFV para pessoas idosas (a partir de 60 anos de idade).

www.reporteriedoferreira.com