BESSA GRILL
Início » Política » Em Pocinhos, posse tem confusão e polícia acionada

Em Pocinhos, posse tem confusão e polícia acionada

2/01/2013 21:54

Reprodução/Facebook

A posse do prefeito e dos vereadores de Pocinhos foi marcada por muita confusão, na manhã desta terça-feira (01). Manifestantes protestaram em frente à Câmara Municipal contra o vereador Pauliano Lamec, após um acordo feito entre ele e a oposição do prefeito eleito, Cláudio Chaves (PMN), para conseguir a presidência da câmara. A polícia militar teve que ser acionada para conter o tumulto. O vereador saiu do prédio escoltado e atingido por grãos de milho jogados pelo público presente, fazendo referencia aos seus discursos durante a campanha.

Pauliano Lamec, que apoiou e fez campanha ao lado do prefeito vencedor Cláudio Chaves, era um dos críticos ferrenhos da administração do ex-prefeito Arthur Galdino (PSDB), sobrinho do deputado estadual Adriano Galdino (PSB). Em seus discursos em comícios, ele chegou a reproduzir uma das falas do deputado, dizendo que “o povo era como galinha, e que ele sabia a hora certa de jogar o milho”, o que gerou muita polêmica na cidade. Nas eleições, Pauliano foi o vereador mais votado da cidade.
Tudo mudou após a divulgação de uma foto divulgada nas redes sociais em que Pauliano Lamec aparece ao lado de lideranças da oposição – como o deputado Adriano Galdino e os vereadores Neném do Galeto (PSB), Sóstenes (PSDB) e Robson do Cajueiro (PSB) – no uma jantar de reunião, causando a revolta dos seus eleitores.
No dia da posse, Pauliano foi eleito presidente da Câmara, recebendo os votos da bancada da oposição, sob vaias do público presente, cerca de 300 pessoas. Após vários discursos acalorados, como o vereador situacionista Assis de Caiana (PMDB), que fez acusações a Pauliano, o público se manifestou com gritos de “traidor”.
Encerrada a cerimônia, o público continuou presente, fazendo inclusive ameaças ao presidente da Câmara, acompanhado da família e da vereadora oposicionista Rosangela (PSDB), que permaneceu dentro da Câmara de Vereadores.
Após cerca de duas horas de tumulto e muita confusão entre o povo e a família do vereador, a tropa do 10º Batalhão da Polícia Militar chegou à frente do prédio e fez a escolta da vereadora, que ironizou as manifestações, acenando para o público; e depois o vereador Pauliano Lamec, que foi recebido com grãos de milho jogados pelo público presente, fazendo referência ao seu discurso contra Adriano Galdino.