BESSA GRILL
Início » Política » Eleições 2014; “DEBATE BAND 2014

Eleições 2014; “DEBATE BAND 2014

27/08/2014 03:28

Dilma“DEBATE BAND 2014

Dilma, nervosa no início, refutou com dados e fatos toda a enxurrada de mentiras e desinformações propagadas pelos oposicionistas. Parece até que os candidatos adversários levaram a revista VEJA como cola. Com firmeza, conhecimento e tranquilidade, a Presidenta respondeu à todas as acusações ( não eram perguntas ). Soube lidar com o debate da maneira que deve ser: um debate para esclarecer o povo telespectador.

Com dois ou três diretos, pôs nas cordas Aécio e com objetividade, colocou a enrolação da Marina no bolso. Talvez a mais importante fala de Dilma tenha sido o apelo ao povo brasileiro para que entre na briga pela Reforma Política.

Marina chocou todo mundo. ” A elite não é diferente do pobre “. Talvez o maior absurdo que eu já tenha escutado de um candidato à Presidência. Definitivamente, a ex-ambientalista abraçou a causa da direita e o conservadorismo. Conseguiu ser mais direitista que um Bolsonaro, mais incoerente e contraditória que um artista atormentado e mais leviana que um bêbado ao volante. Seu blábláblá chegou ao ápice em 2014. Não explicou nada e foi desmantelada por todos com argumentos simples e lógicos. Fez o que sabe fazer de melhor: enrolar.

Aécio Neves, em seu desespero agonizante, não sabia a quem atacar: Dilma ou Marina. Levou pancada das duas. Suas chances acabaram. E o PSDB vai chegando ao fim.

Luciana Genro foi bem nos temas mais à esquerda. Porém, veio para brigar e esqueceu-se de se apresentar para os brasileiros.

Pastor Everaldo merece pouco comentário. Bastou uma pergunta da Dilma sobre garantias energéticas para fazê-lo patinar em profundo desconhecimento administrativo. Um liberal ultrapassado. Não se sabe se soltou um pum também.

Eduardo Jorge também foi bem nos assuntos mais à esquerda. Mas no boteco eu faço melhor. Valeu por ter detonado o Bóris Casoy.

Levy Fidelix, uma figura saída de um filme de baixa qualidade de ditador/general de terceiro mundo. Só mostrou dados equivocados. Seu ano novo vai ser 1886 e ele prometeu levar a família numa viagem de Maria Fumaça para visitar D. Pedro.

P.S.: o jornalista José Paulo de Andrade foi um alcoviteiro: só facilitou as perguntas para os oposicionistas.”

Reporteriedoferreira.com Via Daniel Reynaldo