BESSA GRILL
Início » Política » Dunga vê ‘erro’ do TSE em publicação e diz que acórdão sai até a próxima terça-feira

Dunga vê ‘erro’ do TSE em publicação e diz que acórdão sai até a próxima terça-feira

Suplente de senador ainda negou possível ‘esquecimento’ do governador. “Político sem mandato não tem prestígio”, disse.

14/02/2013 17:17

Prestes a assumir uma vaga como deputado estadual na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o suplente de senador Carlos Dunga (PTB) informou ao WSCOM Online que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) errou ao publicar o agravo regimental no Recurso Ordinário Nº 4360-06. 2010.6.15.0000 , na edição desta quarta-feira (13) do Diário da Justiça Eletrônico (DJE). Ele espera ansiosamente pela publicação do acórdão da decisão do próprio TSE que acatou recurso do ex-prefeito de Cuité, Osvaldo Venâncio dos Santos (Bado), referente às eleições estaduais de 2010, validando seus votos no pleito.

“Estou cobrando pessoalmente para que seja feita a publicação. Entrei em contato com o TSE, eles reconheceram o erro, e me garantiram que até a próxima terça-feira (19) o Diário da Justiça apresentará a publicação”, disse.

Após a publicação do acórdão na edição do Diário da Justiça Eletrônico, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TER-PB) deverá determinar a posse imediata de Carlos Dunga na ALPB. Ele assumirá a vaga do deputado Genival Mathias (PTdoB). “Confio na Justiça Eleitoral e reafirmo que não estou pleiteando a vaga de ninguém. Apenas reivindico o meu lugar que é de Direito”, disse.

Relação com o governo

Sobre o posicionamento político na ALPB, Carlos Dunga afirmou que vai procurar o governador Ricardo Coutinho (PSB) assim que assumir o novo mandato. “Todo mundo sabe que eu pertenço ao grupo que ajudou a eleger o governador. Mas, como há dois anos não mantemos contato, irei procurá-lo pessoalmente para realinhar esse entendimento e saber se ele ainda tem interesse em minha permanência na base”, disse.

Apesar do discurso humilde, Carlos Dunga negou um possível esquecimento do governador Ricardo Coutinho. “Não existe isso, você sabe que político sem mandato não tem prestígio algum”, comentou.

Entenda

A mudança na ALPB ocorrerá por que com a validação dos votos de Bado, que disputou as eleições pela coligação PSL/PR, o coeficiente eleitoral para deputado estadual será mudado. Assim, a coligação do PTdoB, que conseguiu eleger apenas o deputado Genival Mathias, perde a vaga, que vai para Carlos Dunga, da coligação PTB/PP, que já tem a deputada Daniela Ribeiro (PP) eleita.

Em 2010, Bado disputou o cargo de deputado estadual, mas como teve a candidatura impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), devido a então nova Lei da “Ficha Limpa”, seus votos não foram computados. Apesar de ter os votos computados pela Justiça Eleitoral, Bado não irá assumir o mandato na ALPB, ficará na condição de primeiro suplente da coligação PSL/PR.

Até o momento, a Secretaria Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), não foi comunicada da decisão do TSE, por isso não pode prevê data para posse do suplente. No entanto, explicou que os processos de recontagem e retotalização de votos é simples e rápido.

Wscom