BESSA GRILL
Início » Cidades » Couto revela preocupação com aumento da exploração sexual e do tráfico de pessoas

Couto revela preocupação com aumento da exploração sexual e do tráfico de pessoas

14/02/2013 21:26

Couto

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) revela estar preocupado com o impacto que o crescimento do turismo no Brasil, por ocasião de megaeventos como a Copa de 2014, possa causar com relação ao aumento da exploração sexual infanto-juvenil e ao tráfico de pessoas.

Couto ressalta que o turismo sexual se beneficia das facilidades oferecidas pela indústria do turismo para servir a brasileiros e estrangeiros por meio da oferta de pacotes turísticos. “É neste momento que alguns aproveitam para incluir promoções de exploração sexual comercial de mulheres, crianças e adolescentes, frequentemente vítimas do tráfico de pessoas, a maioria – 75% – do sexo feminino com idade entre 13 e 25 anos”.

Luiz Couto recorda que a fundação francesa Scelles apresentou, em 2012, um estudo comprovando que essas grandes competições internacionais permitem que as redes criminosas atuem com mais facilidade.

“O estudo analisou o fenômeno em 24 países e mostra que o número de pessoas que se prostituem ou são exploradas sexualmente pode chegar a 42 milhões no mundo, sendo que 90% estão ligadas a cafetões. O documento analisou, ainda, a questão da exploração sexual por redes de tráficos de seres humanos. De acordo com o relatório, o maior número de vitimas esta concentrado na Ásia, que representa 56% dos casos”, complementa.

O parlamentar relata que no Brasil, em março de 2012, foi descoberta uma ação desses criminosos, onde a Procuradoria Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente de Mato Grosso denunciou um site na Internet, denominado Garota Copa Pantanal 2014, que divulgava vídeos de menores de 18 anos em posições sensuais. “A informação que nós recebemos é que o site saiu do ar, mas as fotografias continuam lá como propagandas”.

Segundo Luiz Couto, o trabalho da polícia mostra que a maioria da clientela é brasileira de classe média alta e rica; empresários bem-sucedidos, aparentemente bem-casados e, algumas vezes, com filhos adultos ou crianças; motoristas de caminhão e de táxis; gerentes de hotéis e até maus policiais.

“Como parlamentar, membro da CPI da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e vice-presidente da CPI do Tráfico de Pessoas no Brasil, expresso minha preocupação e compromisso com a sociedade, na qual quero salientar que devemos nos prevenir e nos unir para que todos os tipos de abusos e explorações sexuais tenham fim”, enfatiza.

 

Ascom Dep. Luiz Couto