BESSA GRILL
Início » Política » Cássio requer audiência pública para resolver situação de Boqueirão

Cássio requer audiência pública para resolver situação de Boqueirão

O açude, que abastece Campina e outros 17 municípios, vai entrar em colapso se não for feito o manejo responsável das águas

15/08/2013 11:10

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) subiu à tribuna, na tarde desta quarta-feira (14), para dar conhecimento à Casa que vai requerer a realização de uma audiência pública com a presença do presidente e dos diretores da Agência Nacional de Águas (ANA), representantes da prefeitura de Campina Grande e do governo do Estado da Paraíba, entidades de classe, universidades e Ministério Público, para debater a “gravíssima situação do açude de Boqueirão”.

 

Cássio se mostra indignado com a inação da ANA no que diz respeito ao Açude Epitácio Pessoa, conhecido como Boqueirão, que alimenta 500 açudes na Paraíba, abastece Campina Grande e diversas outras cidades do entorno daquela região e que atingiu, hoje, apenas 46% de sua cota máxima. Pior: precisa de uma recarga de 222 milhões de metros cúbicos d’água, mas a previsão é de perda de 120 milhões de metros cúbicos.

 

De acordo com estudo da Universidade Federal de Campina Grande, existe a possibilidade real de colapso no abastecimento em Campina e 17 municípios caso não seja feito um manejo responsável da água do manancial. O senador explica que “o açude é propriedade federal e, portanto, está sob gestão da ANA. E nada, até agora, absolutamente nada foi feito para a racionalização do uso daquela água, que ficará cada vez mais escassa” – alerta.

 

Cássio lembra que já enviou ofícios e esteve pessoalmente na ANA para cobrar providências imediatas. Levou, também, o problema para o plenário do Senado, pronunciando-se sobre a o risco da falta d’água e a importância de adoção de medidas urgentes.

 

HISTÓRICO – Em abril deste ano, o senador esteve na Agência Nacional das Águas e discorreu sobre a necessidade de recuperar os níveis do açude Epitácio Pessoa, responsável pelo abastecimento d’água de aproximadamente um milhão de paraibanos. Dias depois, em ofício encaminhado ao diretor-presidente da ANA, Vicente Andreu Grillo, Cássio sugeriu uma ação conjunta entre a ANA e a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA) para minimizar os efeitos da seca no estado.

 

De lá para cá, ele tem cobrado veementemente soluções para a convivência com o período de escassez d’água. E alertado para o risco de colapso no Boqueirão. “O governo tem sido omisso e insensível. É inadmissível o atual estado dos rebanhos e das plantações da Paraíba. É revoltante o descaso do governo federal”, postou no Twitter.

 

INCOMPETÊNCIA – Cássio disse que “a postura da ANA é o retrato da incompetência do governo federal, que faz uma grande quantidade de propaganda para mascarar a realidade”. E finalizou, incisivo: “O PT não consegue fazer outra coisa, a não ser propaganda, proselitismo. O PT e a presidente Dilma deixaram de ter um projeto de país para ter um projeto de poder. O que está havendo com Boqueirão é o reflexo mais claro dessa omissão e desse descaso do governo”.

Assessoria