BESSA GRILL
Início » Política » Cássio admite primeiro grande problema político após as eleições municipais; crescimento do tucano provoca embaraços

Cássio admite primeiro grande problema político após as eleições municipais; crescimento do tucano provoca embaraços

Cássio disse que iniciará as articulações políticas no momento oportuno.

28/09/2012 07:14

Com um olhar bastante atento na cadeira hoje ocupada pelo senador paranaense Alvaro Dias que é líder do PSDB no Senado Federal, o paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB), demonstrou a intenção de colocar o seu nome na disputa para comandar a sua bancada, porém o destaque em âmbito nacional,poderá causar alguma dificuldades para Cunha Lima na obtenção de recursos para o Governo Ricardo Coutinho (PSB) aliado em âmbito federal do Governo Dilma Rousseff (PT).

Inicialmente Cássio salientou que a discussão em torno da liderança se dará após as eleições municipais, o paraibano também se considerou preparado para ocupar a nova função de destaque em âmbito nacional.

“Não há nenhuma confirmação nesse sentido, é claro que me sentiria extremamente honrado de receber aconfiança dos meus colegas senadores para liderar a bancada. A discussão agora é a eleição municipal e acho que após o pleito essa discussão virá e dentro do calendário do Congresso no inicio do ano que vem haverá a renovação da Mesa Diretora das duas Casas: Câmara e Senado e também a discussão sobre a liderança”, pontuou.

Cássio disse que iniciará as articulações políticas no momento oportuno.

“Vou fazer uma sondagem e fazer algumas consultas e havendo sensibilidade, vou colocar meu nome nessa disputa sim, ate porque houve um entendimento no inicio desse ano, que os lideres no Senado teriam um mandato de dois anos para garantir essa alternância na liderança e ficarei extremamente honrado se meu nome for acolhido nesse sentido, aguardar o tempo certo e esse tempo será após a eleição municipal”, contou.

Ao ser questionado se a ocupação de um cargo de maior relevância na oposição em âmbito nacional, não irá dificultar qualquer possibilidade de dialogo para trazer verbas, ações e projetos para o Governo Ricardo e as conseqüentes criticas mais contundente ao Governo Federal, não o distancia para trazer verbas para a Paraíba, o ex-governador admitiu uma complicação futura.

“Com certeza eu já hoje eu não faço oposição as pessoas, eu faço oposição a um Governo, o que dificulta essa relação é algumas vezes quando você perde esse tom e no exercício de um espaço de oposição você confunde pessoas com a instituição Governo e isso deve ser criticado, é fundamental que haja a critica, pois essa posição eu não irei mudar”, alertou.

Conhecido como um grande articulador político, Cássio terá que demonstrar grande poder de convencimento, tentando junto ao Governo Federal, em determinados momentos agir com carinho e sensibilidade nos pedidos da gestão socialista da Paraíba, em outros saber fazer uma critica contundente ou uma cobrança atendendo solicitação da bancada: uma verdadeira sinuca de bico na vida do ex-governador.

PB Agora