A Câmara Municipal de Cabedelo vai formalizar uma consulta ao juiz Henrique Jácome, da 1ª Vara da Comarca local, para saber o que fazer em relação a eventual substituição dos quatro vereadores cujo afastamento dos mandatos foi determinado na 6ª fase da Operação Xeque Mate, deflagrada na manhã de hoje. Os parlamentares municipais Benone Bernardo da Silva, Jonas Pequeno dos Santos, Janderson Bizerril de Brito e Josimar de Lima Silva são suspeitos de terem comercializado o apoio ao então prefeito Leto Viana e teriam recebido dinheiro vindo do superfaturamento do contrato com a empresa coletora de lixo do município.

O procurador da Câmara, Rouger Guerra, disse  que há uma divergência de entendimento a respeito do chamamento dos suplentes ou não. “Para evitar acusações políticas, vamos consultar o juiz que determinou o afastamento para saber se devemos convocar os suplentes ou se manteremos o quorum reduzido na Casa”, explicou.

O afastamento determinado dos quatro vereadores tem a duração de 120 dias.