BESSA GRILL
Início » Policiais » Sangue encontrado em casa não é de garota desaparecida na Paraíba

Sangue encontrado em casa não é de garota desaparecida na Paraíba

Fernanda Ellen, de 11 anos, está sumida há mais de 19 dias. Amostra foi encontrada em colchão de casa abandonada..

26/01/2013 17:05

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Cláudio Lima, foi descartada na manhã desta sexta-feira (25) a hipótese de que o sangue encontrado em uma casa abandonada no bairro Alto do Mateus, em João Pessoa, no último dia 14, seja da menina Fernanda Ellen, desaparecida no dia 7 deste mês quando voltava da escola. O sangue foi encontrada em um colchão da casa.

Os exames foram feitos pelo Instituto de Perícia Científica de João Pessoa e o resultado foi encaminhado ao delegado responsável do caso, Aldrovilli Grisi. O delegado disse não ter recebido o resultado até as 15h30.

Cláudio Lima confirmou que equipes da Polícia Militar e Civil da Paraíba continuam envolvidos no caso e procurando pela garota desaparecida.

Entenda o caso
A estudante desapareceu na tarde do dia 7, quando voltava da escola no bairro Alto do Mateus, em João Pessoa. Desde então, as polícias estaduais estão empenhadas para encontrar a estudante. Além das investigações da Polícia Civil, equipes da Polícia Militar, inclusive a Polícia Florestal, além do Corpo de Bombeiros estão trabalhando nas buscas.

Suspeitos
Na tarde do dia 10 deste mês, a Polícia Militar deteve um homem suspeito de envolvimento com o sumiço da garota. O rapaz foi encaminhado para a sede da Secretaria de Segurança Pública da Paraíba, ouvido e depois liberado por falta de evidências que concretizassem a suspeita.

Família e amigos protestam
Familiares amigos e vizinhos de Fernanda realizaram no dia 10 de janeiro uma carreata protestando pelos trotes que são passados seguidamente dando falsas informações sobre o paradeiro da estudante. De acordo com a tia da garota desaparecida, Maria da Penha Cabral, a família decidiu realizar a manifestação para cobrar uma ajuda verdadeira da população e pedir que os trotes cessem.

G1