A Polícia Civil da Paraíba vai realizar às 16h30 desta sexta-feira (26) uma entrevista coletiva para divulgar detalhes sobre a investigação da morte de Erivaldo Moneta da Silva, de 34 anos. O evento ocorrerá na Central de Polícia, no Geisel, em João Pessoa. Moneta era tenente da PM quando foi assassinado a tiros no dia 10 de setembro deste ano, quando ocorreu a fuga de 92 presos da Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes – PB1, em Jacarapé, em João Pessoa. O oficial estava realizando investigações sobre a localização dos foragidos.

Os laudos relativos à necrópsia, cena de crime, exames de balística, análise de imagens e danos patrimoniais sobre os disparos que causaram a morte do tenente já foram concluídos e entregues ao delegado Reynaldo Nóbrega, titular da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DCCP), que participará da coletiva para revelar detalhes sobre o caso.

O corpo de Erivaldo foi sepultado em Recife, cidade natal do militar. Ele havia ingressado há 6 anos na PM. No dia 4 de outubro, o Diário Oficial do Estado (DOE) publicou o Ato Governamental nº 3.150, promovendo o militar. O documento, assinado pelo governador Ricardo Coutinho, afirma que o PM morreu em serviço.