BESSA GRILL
Início » Policiais » Polícia Civil participa de operação nacional e faz prisões em João Pessoa por vendas fraudulentas pela internet.

Polícia Civil participa de operação nacional e faz prisões em João Pessoa por vendas fraudulentas pela internet.

24/04/2019 15:50

 

A Polícia Civil da Paraíba participa durante toda esta quarta-feira (24) da Operação PC 27, deflagrada em todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal com o objetivo de cumprir mandados de prisão, busca e apreensão pelos mais diversos tipos de crime.

Em João Pessoa a ação foi deflagrada através da Operação “e-golpe” pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital, que desarticulou uma quadrilha de golpistas que realiza vendas fraudulentas de carros por um site de compras na internet.

Além de João Pessoa também foram realizadas prisões em outros municípios paraibanos, totalizando seis prisões na manhã desta quarta-feira, sendo quatro em João Pessoa, uma em Monteiro e outra em Itabaiana.

Segundo o delegado Marcos Vasconcelos, da Delegacia de Defraudações e Falsificações da Capital, ao todo estavam sendo investigados 19 alvos, sendo seis com mandados de prisão expedidos pela Justiça. Foram presos na Operação e-golpe Lucas Francisco dos Ramos Gonzaga, Josevaldo Gomes da Silva Júnior (Juninho), Benigno Pontes de Araújo e Ariela Rangel Marques, esposa de Leandro Minervino, que está detido no presídio do Serrotão, em Campina Grande, e faz parte da ramificação da quadrilha naquela cidade.

Os golpistas utilizavam um site de compra e venda de veículos e copiava os anúncios verdadeiros, criando um outro com as mesmas característas, porém com o preço do veículo bem mais barato. Os interessados entravam em contato sem saber que se tratava de golpistas e realizavam a negociação, mas quando ligavam para o verdadeiro proprietário percebiam que tinham caído em um golpe.

O chefe da quadrilha em João Pessoa é conhecido por Júlio César, que tem apoio de outros fraudadores de nomes Lucas Franicsco, Benigno Araújo, Josevaldo Junior (Juninho) e um outro companheiro conhecido como Sadan. Esses eram responsáveis pelo recrutamento de pessoas para emprestarem contas bancarias, onde o dinheiro da venda dos veículos era depositado.

“Eles alegavam que não tinham conta e pediam para uma pessoa emprestar os dados bancários. Com isso tentavam fugir da investigação porque seus dados pessoais não apareciam na conta que recebia os depósitos”, explicou o delegado Marcos Vasconcelos.

Em Monteiro foi dado cumprimento de mandado de prisão em desfavor de José Ailton Souza Araújo. Ele estava foragido há um ano da comarca de Campina Grande e foi condenado há 10 anos de prisão em regime fechado pela prática de estupro.

www.reporteriedoferreira.com.br Por Assessoria da Polícia Civil-Pb