BESSA GRILL
Início » Policiais » Polícia Civil elucida crime e prende envolvido em homicídio em CG

Polícia Civil elucida crime e prende envolvido em homicídio em CG

30/05/2019 21:58

Após pouco mais de três anos de investigações, a Polícia Civil da Paraíba conseguiu elucidar um caso que envolveu sequestro seguido de morte e prendeu na manhã desta quinta-feira (30) o último suspeito de participar de um crime ocorrido em Campina Grande, no interior da Paraíba.

Paulo Cesar do Nascimento, mais conhecido como “Paulinho”, de 28 anos de idade, foi preso por equipes da Delegacia de Crimes Contra Pessoa de Campina Grande (DCCP/CG).

Ele é apontado pela polícia como participante do homicídio de Wilton Cândido da Silva, o “Pequeno”, sequestrado e morto dia 15 de dezembro de 2015, na zona rural do Distrito de São José da Mata.

Além de Paulo, a polícia prendeu outro participante do crime, identificado como Geovane Pereira da Silva, mais conhecido como “Gil do lindo olhar”.

De acordo com informações repassadas pelo delegado Luciano Soares, a vítima foi sequestrado na noite do dia anterior ao do crime, nas proximidades do bairro Jardim Verdejante, em Campina Grande.Ele saiu de casa, juntamente com um amigo, com destino ao bairro das Cidades. O objetivo era concluir a venda de um imóvel.

Depois de rodar por vários minutos no local e sem encontrar o suposto comprador, a vítima estacionou seu carro na rua e foi surpreendido por quatro homens. O corpo de Wilton apenas foi localizado no dia seguinte, com várias marcas de tiros.

A investigação ficou sob a responsabilidade da delegada Suelane Guimarães. Segundo ela, algum tempo depois, Geovani foi preso portando a mesma arma usada no homicídio. A policia também descobriu que o carro usado no dia do crime é de propriedade de familiares de Geovane.

“Apesar de o crime ter sido cometido em 2015, estas prisões demonstram o comprometimento da Polícia Civil na investigação efetiva. Foi um trabalho minucioso durante estes anos, mas com certeza irá resultar na condenação dos envolvidos no Tribunal do Júri”, analisou Suelane.

www.reporteriedoferreira.com.br ASSESSORIA