BESSA GRILL
Início » Nacionais » PM agride violentamente funcionária de lanchonete em Jacarepaguá-Vídeo

PM agride violentamente funcionária de lanchonete em Jacarepaguá-Vídeo

23/03/2019 11:22

 

Agressões foram registradas por uma câmera de segurança do local

Agressões foram registradas por uma câmera de segurança do local – Reprodução / Internet

Rio – Um policial militar agrediu, no início da madrugada desta quinta-feira, com socos, chutes e pontapés uma funcionária de uma lanchonete de Curicica, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Morador do Recreio dos Bandeirantes, também na Zona Oeste, Augusto César Lima Santana, que é lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), foi ao local reclamar de um pedido que fez.

De acordo com testemunhas, a mulher do agente tinha ligado anteriormente para a lanchonete (Nubia Lanches) alegando que o pedido que eles fizeram chegou frio à residência dos dois. O policial, então, foi até lá, dizendo que era delegado. Aos gritos e xingando muitos palavrões, ele perguntou quem teria falado com a mulher dele ao telefone e já partiu para as agressões.

Câmeras de segurança do estabelecimento flagraram o episódio (assista mais abaixo). Nas imagens, é possível ver o PM se aproximar do balcão, onde está Liz Pacheco Luiz, de 24 anos, e arrastar a funcionária pelo cabelo para fora da lanchonete. Com uma arma na mão, a todo o momento ele dá socos contra a cabeça dela, coronhadas e vários chutes.

Depois de levá-la para fora do estabelecimento, o policial saca novamente a arma, que havia colocado na cintura, aponta o armamento para um motoboy que deixa o local e pede para ele levantar a camisa. O PM também o agride com chutes.

Depois das agressões, as vítimas prestaram depoimento na 32ª DP (Taquara), que investiga o caso. De acordo com a Polícia Civil, o PM está preso administrativamente e, nesta manhã, estava sendo levado à delegacia. A princípio, ele será indicado pelos crimes de lesão corporal, injúria, ameaça e crime de falsa identidade.

O DIA também procurou a Polícia Militar sobre o episódio, mas a corporação ainda não se manifestou.