BESSA GRILL
Início » Policiais » Governador precisa reconhecer desastre na Segurança, só demitir secretário não resolve– Hélder Moura

Governador precisa reconhecer desastre na Segurança, só demitir secretário não resolve– Hélder Moura

27/06/2015 17:13

Ricardo-com-fone-de-ouvidoO que é necessário para derrubar um secretário de Segurança? Mais de 750 homicídios em seis meses do ano? Uma estatística de 73 assaltos a bancos, 29% a mais do que no ano anterior, no semestre? Ação de bandidos em plena luz do dia, assaltando supermercados? Sequestros e morte de mulheres? É um cenário dantesco para um Estado que, até um dia desses, se gabava de ser a terra da tranquilidade.

Esse cenário seria suficiente para derrubar até um Governo num País sério. Mas, uma pergunta se impõe: será que a simples demissão do secretário Cláudio Lima irá resolver? E é fácil perceber como não. Cláudio Lima executa uma política de segurança que lhe é sugerida, ou imposta talvez, pelo governador Ricardo Coutinho. Então, a origem do problema está mais em cima. Não está (apenas) no secretário.

O mal está na arrogância, de quem não escuta. Quando em campanha para governador, Ricardo Coutinho arrotou bravata ao anunciar que o problema de violência na Paraíba era de gestão (mirava atacar o ex-governador Zé Maranhão) e que resolveria em seis meses. E olha que os números de cinco anos atrás não eram nem uma sombra daquilo que se verifica hoje no Estado. Mas, ele prometia resolver o problema por decreto.

Após cinco anos de gestão, a violência só cresceu, atingiu níveis alarmantes. A então pacata João Pessoa passou a figurar no ranking das 50 cidades mais violentas do mundo, conforme estudo de ONG mexicana. Saltou de 29º lugar, há quatro anos, para 4º, no ano passado, enquanto o governador seguia sua cantilena de negar a realidade, brigar com os números e atribuir a culpa da violência crescente para a mídia e a oposição.

Deu no que deu. Se o governador quiser apenas ganhar tempo, ele demite o secretário. Mas, se quiser realmente resolver o problema da insegurança no Estado será necessário mudar a si próprio, abdicar da prepotência, assumir com humildade que sua política de segurança fracassou e convocar segmentos representativos da sociedade para implantar um plano sustentável de combate à violência.

Enquanto o governador insistir em brigar com a realidade e os números, tratar mal seus policiais, e ficar transferindo a culpa de suas responsabilidades (inclusive constitucionais) para a mídia e a oposição, a violência só irá aumentar. Aliás, o primeiro sintoma de um incompetente é transferir responsabilidades. Os outros sempre estão errados. Ele está sempre certo. A realidade está ai para mostrar quem tem razão.

www.reporteriedoferreira.com    Por Helder Moura