BESSA GRILL
Início » Policiais » Empresário é executado com mais de 60 tiros na cabeça e Jovem denuncia agressão de padrasto

Empresário é executado com mais de 60 tiros na cabeça e Jovem denuncia agressão de padrasto

14/07/2017 13:39

Empresário é executado com mais de 6O tiros na cabeça no Sertão da Paraíba

O empresário José Rabelo, mais conhecido como “Zé de Zeca”, foi assassinado com mais de 30 tiros de pistola, no início da manhã desta quinta-feira (14), na cidade de Manaíra, localizada na região de Princesa Isabel, Sertão paraibano.

De acordo com informações de populares, que estiveram no local do crime, no momento em que Zé abria seu estabelecimento comercial foi surpreendido por quatro homens, que estavam em um veículo Pálio. Os homens já chegaram atirando contra a vítima e só saíram do local, quando o comerciante já se encontrava morto.

Ainda de acordo com informações de populares, a maioria dos disparos acertou a região da cabeça da vítima, que morreu no local. Em seguida, os atiradores fugiram com destino ignorado.

A polícia militar foi acionada e se encontra em diligências, mas até o momento ninguém foi preso.

 

Jovem denuncia agressão de padrasto em Patos

A jovem estudante e estagiária bancária Thallita Ewlin Medeiros de Araújo, 19 anos, residente no Bairro São Sebastião, em Patos, registou queixa contra o seu padrasto, por suposta agressão física, que teria sido sofridas na quarta-feira, dia 12, por volta das 22h30, quando ela estava em sua casa e teve início uma discussão.

Thallita exibiu as marcas do soco que sofreu na boca. Ela fez uma postagem na sua rede social Facebook e na tarde dessa quinta-feira, 13, registrou a agressão na Delegacia de Polícia Civil. Thallita relatou que o acusado já havia agredido a mãe dela. Depois da agressão praticada na quarta a Thallita, a mãe da jovem terminou o relacionamento e se uniu a filha em buscar Justiça.

A vítima confessou que está muito abalada e vai buscar medida protetiva para que o acusado não se aproxime dela. A jovem comentou que vem sendo ameaçada e teme que um fato ainda pior aconteça com ela ou sua mãe.

O fato já se tornou um processo na Delegacia de Polícia Civil e será encaminhado para o Fórum Miguel Sátiro para as medidas cabíveis. “Não consigo nem me alimentar devido ao hematoma na minha boca. Está doendo muito! Eu estava em casa com minha irmã de nove anos e ele quando aconteceu isso! Fico me perguntando se isso vai ficar por isso mesmo. Não posso me calar! Minha irmã também está abalada porque ela é criança e viu toda a agressão. Eu estava falando com minha irmã e ele começou a se intrometer. Me gritou e depois me deu um soco que cai ao chão”, desabafou Thallita.

www.reporteriedoferreira.com.br