BESSA GRILL
Início » Nacionais » Áudio expõe desespero de PMs encurralados em UPP do Rio de Janeiro

Áudio expõe desespero de PMs encurralados em UPP do Rio de Janeiro

6/10/2015 00:40

Áudio obtido pelo DIA mostra policiais militares completamente desesperados durante troca de tiros com traficantes na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, na Zona Norte do Rio, na última sexta-feira. Na ocasião, dois PMs foram baleados e o áudio flagrou o momento em que um deles foi alvejado. “Um colega foi baleado aquia agora”, diz um militar.

Os policiais, encurralados na base da UPP capturaram a frequência dos rádiotransmissores de traficantes que faziam ameaças e até zombavam do armamento da polícia. “Não explana que chegou (Sic) mais 20 caixas (de munição) para nós, não. Fica aí nessa lata de sardinha”, dizia um dos criminosos.

“Estamos aí ó, que nem uma sardinha. Igual eles falaram aqui, estão tacando bala. Olha o que a gente tem que ficar passando aí, essa m*** (UPP) tem que acabar. Estou cansado dessa p***”, desabafa um dos PMs, que relata que não sabe de vem o tiro. “Não sei nem de onde está vindo tanto tiro”, grita ele.

Novamente os traficantes retrucam que estão com mais munição e que só precisam de cinco balas para matar dez policiais. Eles provocam os PMs e os chamam para o confronto. Um dos policiais conversa com outro e diz que não sabe onde os bandidos estão. “Eles estão em três lugares”.

E um ato de desespero, o PM grita: “É tudo menino inocente, aí! Estão com mais fuzis do que a própria  polícia!”.

Segundo informações policiais, os traficantes estavam em cima de uma laje trocando tiros com os policiais. O PM atingido, identificado como Batista, foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. O outro, R. Silva, foi atingido de raspão e levado de volta para a base da UPP, onde foi feito curativo.

Contêiner de UPP incendiado nas favelas do Lins de Vasconcelos
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Contêiner de UPP incendiado nas favelas do Lins de Vasconcelos

Na última semana, cinco policiais militares foram mortos no Rio

Na madrugada de segunda-feira, o soldado da UPP Formiga, Bruno Rodrigues Pereira, de 30 anos, foi assassinado de forma cruel por traficantes da comunidade Dom Bosco, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele levou um tiro nas costas e foi arrastado amarrado a um cavalo por cerca de um quilômetro até a comunidade da Lagoinha. O PM estava na comunidade para encontrar o irmão.

Na última quarta-feira, a vítima foi o soldado da PM Caio César Ignácio Cardoso de Melo, da UPP Fazendinha, no Complexo do Alemão. Ele foi baleado durante uma troca de tiros durante confronto com traficantes na comunidade. O PM, que tinha completado 27 anos na segunda-feira, também era dublador e, entre muitos outros trabalhos, deu vida ao personagem Harry Potter, da escritora J.K. Rowling, que lamentou a morte através da sua rede social.

Na tarde de quinta-feira, o PM Alyson Leonardo Egidio Alves, da UPP Salgueiro, foi morto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele estava no salão de beleza da esposa, quando foi surpreendido por pelo menos três criminosos armados num carro vermelho. Segundo o 21ºBPM (São João de Meriti), os bandidos viram a arma na cintura do PM e disparam três tiros contra ele. O sepultamento de Alyson será nesta sexta-feira, às 17h, no Cemitério de Irajá.

Na última sexta-feira, o Sargento Marcelo de Moraes, do 16ºBPM (Olaria), foi morto durante uma tentativa de assalto em Sulacap. Ele reagiu, junto com um outro PM e foi alvejado na cabeça e no peito pelos criminosos, que conseguiram fugir. O outro policial foi atingido no abdômen, e socorrido para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste.

Neste domingo, o sargento Ronaldo Ferreira do Nascimento, 39 anos, foi atingido por um tiro quando fazia um lanche numa conhecida barraca de churrasquinhos, na Avenida Ézio Cardoso da Fonseca, no bairro Jardim Esperança, em Cabo Frio.

Dois homens em uma moto chegaram ao local, por volta de 1h, efetuando vários disparos. O sargento, que estava de férias, foi abordar os bandidos, mas acabou sendo atingido por um tiro. Outro disparo atingiu de raspão na barriga um homem, identificado como Alessandro da Silva Martins, 38 anos. Ele e o policial foram socorridos por populares a um hospital do bairro e depois foram encaminhados à UPA de Cabo Frio, mas o militar não resistiu aos ferimentos e já chegou morto à unidade.

www.reporteriedoferreira.com Fonte/O Dia: Áudio expõe desespero de PMs encurralados na UPP Vila Cruzeiro