BESSA GRILL
Início » Policiais » Agentes penitenciários paralisam em protesto contra veto de Dilma Roussef

Agentes penitenciários paralisam em protesto contra veto de Dilma Roussef

30/01/2013 16:05

A paralisação por 24 horas dos agentes penitenciários da Paraíba não vai prejudicar o funcionamento dos 80 estabelecimentos prisionais do Estado. Foi o que garantiu o secretário de Administração Penitenciária da Paraíba, delegado Wallber Virgolino.

O secretário garante que caso haja necessidade a Secretaria conta com o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gepoe) e de policiais militares que fazem a segurança dos presídios.

A paralisação a nível nacional foi iniciada às 8h desta quarta-feira, 30 e se encerra às 8h de amanhã. Na Paraíba, a Comissão de Paralisação garante que 30% do quadro de agentes penitenciários do Estado estão trabalhando.

A mobilização dos agentes penitenciários do Brasil é contra o veto da presidente Dilma Roussef que proíbe o porte de arma pela categoria fora do horário de serviço.

O mais preocupante para a categoria é em relação aos apenados do regime semi aberto (aqueles que deixam o presídio no início da manhã e retornam no final da tarde), pois são cerca de 400 apenados nessa condição e os 30 por cento não tem condições de vigiá-los. Um dos integrantes da Comissão de Paralisação na Paraíba, Charles Mota, muitos desses presos devem continuar nas ruas praticando atos ilícitos.

Para evitar alguns problemas a Secretaria de Administração Penitenciária antecipou a visita intima nos presídios do Estado para a terça-feira, 29. Nos estabelecimentos prisionais estão sendo mantidos os serviços essenciais, como assistência em caso de saúde se houver necessidade de condução para atendimento em hospital, disse Charles. Estão suspensas com a paralisação as visitas intimas e as assistências religiosa e jurídica (visita dos advogados).

Cardoso Filho