BESSA GRILL
Início » Notícias » Veja atribui a Valério acusação contra Lula; advogado nega declarações do publicitário

Veja atribui a Valério acusação contra Lula; advogado nega declarações do publicitário

Embora publicação registre depoimentos, advogado nega entrevista

15/09/2012 20:46

O empresário Marcos Valério de Souza teria acusado o ex-presidente Lula de chefiar o mensalão e disse que o PT usou R$ 350 milhões no esquema, segundo reportagem da revista “Veja” desta semana.  O STF (Supremo Tribunal Federal) já condenou Valério, considerado operador do mensalão, por lavagem de dinheiro, corrupção ativa e peculato (desvio de dinheiro). Valério ainda precisa ser julgado por evasão de divisas e formação de quadrilha. Advogado do publicitário negou a entrevista e disse que não houve contato com ele.

A revista informa que a reportagem foi feita com base em revelações de parentes, amigos e associados de Valério. “Não podem condenar apenas os mequetrefes. Só não sobrou para Lula porque eu, o Delúbio [Soares, ex-tesoureiro do PT] e o Zé [Dirceu, ex-ministro] não falamos”, teria dito Valério em Belo Horizonte.

A acusação da Procuradoria-Geral da República fala que o mensalão foi alimentado por R$ 136 milhões. Lula não foi acusado e nega ter tido relação com o empresário.

Segundo Valério, R$ 350 milhões passaram pelo esquema. A entrada e saída de dinheiro estariam registradas num livro guardado a sete chaves por Delúbio.

O advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, disse que não negaria nem confirmaria o teor das declarações publicadas pela revista “Veja”. Ele negou que seu cliente tenha dado uma entrevista à revista.
A reportagem não conseguiu falar com Lula para comentar a reportagem de “Veja”.

Ainda, de acordo com a revista, Valério teria afirmado que Lula seria o fiador das operações que abasteceram o esquema. E que Dirceu era o braço de Lula “que comandava”.

O texto da revista diz que o empresário tem relatado encontros que teve com o ex-presidente no Palácio do Planalto. “Do Zé ao Lula era só descer a escada. Isso se faz sem marcar. Ele dizia vamos lá embaixo”, disse, segundo o texto.

O empresário teria feito um acordo com o PT: em troca de não revelar detalhes, recebeu garantias de impunidade, ou um esforço para retardar o início do julgamento no STF. Mas agora, diante das condenações, teria começado a contar a amigos o que sabe.

“O PT me fez de escudo, me usou como um boy de luxo. Mas agora vai todo mundo para o ralo”, teria dito Valério.
Valério teme ser assassinado. “Vão me matar. Tenho de agradecer por estar vivo até hoje”, disse o empresário, segundo a reportagem.

Advogado de Dirceu rebate declarações de Valério publicadas por “Veja”

O advogado de José Dirceu, José Luis de Oliveira Lima, criticou hoje a reportagem da revista “Veja” que atribui ao empresário Marcos Valério novas declarações sobre o esquema do mensalão. “É no mínimo estranho que, na véspera do início do julgamento do meu cliente e próximo do primeiro turno da eleição municipal, a revista “Veja” venha com matéria leviana, desprovida de fatos, depoimentos e documentos”, disse o advogado. “Assim como fez quando invadiu o quarto de hotel do meu cliente, a revista vem com ataques”, afirmou. “Quero registrar que fico tranquilo com o fato de meu cliente ser julgado pelo STF, onde tem magistrados experientes”, ressaltou o advogado de José Dirceu.

Segundo a revista, Marcos Valério acusou o ex-presidente Lula de chefiar o mensalão. “Não podem condenar apenas os mequetrefes. Só não sobrou para o Lula porque eu, o Delúbio [Soares, ex-tesoureiro do PT] e o Zé [Dirceu, ex-ministro] não falamos”, teria dito Valério em Belo Horizonte.

Advogado diz que Valério não deu entrevista e nega declarações publicadas em revista

O advogado do empresário Marcos, Valério, o criminalista Marcelo Leonardo, disse neste sábado que seu cliente não deu entrevista à revista Veja e negou as declarações atribuídas a ele, acusando o ex-presidente Lula de ser o chefe do mensalão.

— Desde 2005 Marcos Valério não dá entrevistas e não deu nenhuma entrevista para a revista Veja agora. Ele nega o teor das declarações atribuídas a ele — disse Leonardo, por telefone, ao GLOBO.
Para Haddad, comportamento de réus do mensalão é imprevisível

O candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, rebateu as acusações. O ex-ministro da Educação afirmou que Valério adota um “comportamento normal” às pessoas que sofrem processos dessa natureza, mas ele teme “um comportamento imprevisível” com o andamento do julgamento do mensalão, no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda de acordo com o petista, o empresário deve estar fragilizado perante a família, e, por isso, apresenta “recorrentemente versões diferentes”.

— Existe um comportamento normal dessas pessoas que sofrem processos dessa natureza, de apresentar cada vez uma versão diferente. Isso acontece com as pessoas mais fragilizadas, que vão mudando as versões recorrentemente. Ele (Marcos Valério) está num momento difícil – disse haddad, depois de uma carreata na Zona Norte da cidade.

Segundo ele, as denúncias publicadas na revista não devem afetar sua campanha.

— A população tem compreensão de que se alguém se desviou do rumo certo, as acusações (sobre ela) têm que ser apuradas e julgadas.

Para o petista, no entanto, o comportamento dos envolvidos no esquema ainda deve render polêmica.
— O comportamento dos condenados será imprevisível a partir de agora, tudo pode acontecer. Tem muita coisa em

jogo na vida dele: mulher, filhos, parentes. É um momento de abalo psicológico muito forte.

Da Redação com agencias de noticia
wscom