BESSA GRILL
Início » Notícias » Último dia de registro de candidaturas tem tumulto em João Pessoa

Último dia de registro de candidaturas tem tumulto em João Pessoa

Alguns candidatos foram impedidos de registrar candidatura no Fórum. Juiz garantiu que todos os candidatos poderão fazer os registros.

5/07/2012 16:11

O registro de candidaturas no Fórum Eleitoral de João Pessoa no bairro do Roger, em João Pessoa, começou tumultuado nesta quinta-feira (5), último dia de registro. Os servidores em greve do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba alegaram que o acordo com o juíz da 64ª Zona Eleitoral, Fabiano Moura de Moura, tinha sido descumprido. Segundo os servidores, durante a reunião realizada na tarde da quarta-feira (4), ficou definido que apenas um terço do efetivo iria trabalhar na 64ª, o que, de acordo com os grevistas, não aconteceu.

Durante a reunião, que acabou por volta das 12h20, os portões do Fórum Eleitoral foram fechados e parte dos candidatos foram impedidos de registrar suas candidaturas na capital. O senador Cícero Lucena (PSDB) e o deputado estadual Luciano Cartaxo (PT), ambos pré-candidatos à Prefeitura de João Pessoa, foram prejudicados com o fechamento do Fórum.

O juiz Fabiano Moura de Moura disse que os registros dos candidatos seriam garantidos. Segundo ele, foi feito um entendimento com o comando de greve para que não fosse impedido a acesso de ninguém. “Estão todos de acordo para que os candidatos e partidos adentrem  e nós estamos aqui para garantir que isso aconteça”, afirmou . O magistrado ressaltou ainda que não existe possibilidade de prorrogação do prazo para efetivação dos registros.

Apesar de não ter conseuido se registrar, o senador Cícero Lucena disse que respeitava a greve e que seu registro será feito no período da tarde por sua assessoria jurídica. Já Luciano Cartaxo permaneceu na frente do Fórum Eleitoral aguardando o fim do impasse e após cerca de 10 minutos teve a entrada liberada e conseguiu fazer o registro. Antes dos servidores impedirem a entrada dos políticos, Renan Palmeira (PSOL), também candidato à prefeitura de João Pessoa conseguiu registrar a candidatura.

Servidores ocuparam mais uma vez a entrada do Fórum Eleitoral, no bairro do Roger, em João Pessoa (Foto: André Resende/G1)Servidores ocuparam mais uma vez a entrada do
Fórum Eleitoral (Foto: André Resende/G1)

O coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Justiça Federal na Paraíba (Sindjuf-PB), Marcos Lopes afirmou que a ordem de fechamento dos portões não partiu do comando de greve, sendo uma medida tomada isoladamente por servidores grevistas.

Antes da reunião, o juiz da 64ª afirmou que a garantia dos registro não cabia nem a ele como magistrado responsável pela zona eleitoral, nem aos servidores da Justiça Eleitoral. “O registro de candidaturas é um direito garantido a qualquer candidato. Ninguém dá garantia, o registro é um direito garantido. E quanto a reunião, não houve acordo nenhum, o que houve foi a exposição do bom senso do comando de greve em não impedir os registro das candidaturas”, comentou Moura de Moura. Apesar de afirmar que não houve acordo com os grevistas, o juiz da 64ª Zona declarou apoio às reivindicações dos servidores.

José Alves, integrante do comando de greve, reforçou que os registros das candidatuas sempre foram permitidos, uma vez que é direito dos candidatos diante de um calendário eleitoral. “Nossa mobilização não é para prejudicar o calendário eleitoral, mas para chamar atenção a um problema que se arrasta há mais de quatro anos. Até o presente momento não tivemos contato do TRE da Paraíba, no sentido de nos apoiar na empreitada. Continuamos nossa greve”, finalizou.

 

Do G1pb