BESSA GRILL
Início » Cidades » Tragédia; Investigação sobre tragédia em Santa Maria chega à disputa política

Tragédia; Investigação sobre tragédia em Santa Maria chega à disputa política

Ministério Público instaurou um inquérito para apurar suposta improbidade adminitrativa de agentes municipais. Prefeitura diz que laudo sobre incêndio é com o Corpo de Bombeiros

29/01/2013 23:19

tragédia Santa Maria

A investigação sobre a tragédia que matou mais de 230 pessoas na boate Kiss , em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, atingiu, nesta terça-feira, a disputa política. Minutos depois de o Ministério Público instaurar um inquérito civil para apurar suposta improbidade administrativa de agentes da gestão municipal, o prefeito Cezar Schirmer (PMDB) convocou numa entrevista coletiva para jogar a responsabilidade pela fiscalização da boate no colo do Corpo de Bombeiros, que é subordinado ao governo do Estado.

Tristeza: Marcada pela tragédia, população de Santa Maria tenta retomar a rotina
Bombeiros: Boate cumpria normas, mas obstáculos e lotação ampliaram tragédia
Infográfico: Veja como aconteceu o incêndio na boate em Santa Maria
Saiba quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

 Policiais civis realizam nova perícia na boate Kiss, centro de Santa Maria, no RS. Foto: Mauricio Barbosa/Futura Press
1/47

O inquérito para apurar a improbidade administrativa foi instaurado pela promotor Cesar Carlan. “É preciso levar em conta o aspecto político do que ocorreu”, disse o promotor. O inquérito pode resultar em punições como a suspensão de direitos políticos dos supostamente envolvidos.

Pouco depois da instauração do inquérito, o prefeito reuniu a imprensa e parte do secretariado em seu gabinete para o que deveria ser uma entrevista coletiva, mas acabou se resumindo a um longo pronunciamento. Ao final da sua fala, o prefeito deixou o local sem responder nenhuma pergunta. Segundo o assessor do gabinete, ele teria “demandas mais urgentes”.

Quem respondeu às questões dos jornalistaS foi o secretario do governo Giovane Mânica. Segundo ele, o alvará de localização da boate, que é de responsabilidade da prefeitura, está dentro do prazo de validade. Mânica disse que uma inspeção foi realizada no local em abril do ano passado e não constatou nenhuma irregularidade na boate. O prazo de validade da inspeção era de um ano.

Ricardo Galhardo/iG

Manifestantes pedem “Justiça” em passeata em Santa Maria

Segundo o secretario, a prefeitura vai apurar se houve negligência dos fiscais. De acordo com ele, se foi feita alguma modificação no local depois da inspeção, a culpa é dos proprietários que deveriam, por força da lei, ter notificado a prefeitura antes da reforma. “Se a prefeitura soubesse (da reforma) teria que fechar. Mas a prefeitura não sabia”.

De acordo com o secretario, cabe ao Corpo de Bombeiros, que é vinculado a Brigada Militar do Estado, fazer as inspeções em relação às medidas contra incêndio na boate. Apesar da negativa da prefeitura, tanto o Ministério Público com a Policia Civil disseram que todos os possíveis envolvidos, inclusive, agentes municipais, poderão ser responsabilizados.

“A fiscalização deveria ser feita em harmonia pela prefeitura e Corpo de Bombeiros”, disse o delegado Marcelo Arigony, responsável pela investigação.

Enquanto diferentes esferas do poder empurravam um para o outro a responsabilidade pela tragédia um grupo de cerca de 300 pessoas fizeram uma manifestação pedindo Justiça na região central de Santa Maria, onde ficam tanto a delegacia regional da Policia Civil quanto o gabinete do prefeito.

Pertences das vítimas ainda podem ser encontrados na entrada da casa noturna Kiss, em Santa Maria. Foto: Mauricio Barbosa/Futura Press
Milhares fazem passeata em homenagem às vítimas que morreram no incêndio na boate Kiss. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Pessoas carregam cartazes em caminhada de protesto (28/01). Foto: AP
Do Ig