BESSA GRILL
Início » Notícias » Sargento da PM é encaminhada ao presídio feminino acusada de tortura

Sargento da PM é encaminhada ao presídio feminino acusada de tortura

De acordo com a portaria, os três foram condenados em 2009 pela 4ª Vara Criminal de Campina Grande.

4/07/2015 15:46

bcc283d7986a234abe21cb5544b11a7a9c5f49dbHá alguns meses, a 3º  sargento da Polícia Militar  Alba Edilane Araújo Azevedo e os soldados Ronaldo Rocha Lemos e João Batista Ramos de Oliveira,  foram  expulsos da corporação sob acusação de ‘tortura’ e, desde então, passou a cumprir pena na sede do 2º Batalhão. No entanto, na tarde dessa sexta-feira, 3 de julho, por força de determinação judicial, a militar foi encaminhada ao presídio feminino.

A sargento e dois soldados da Polícia Militar da Paraíba foram expulsos da corporação e condenados a três anos e meio de prisão por torturarem um suspeito de roubo na cidade de Lagoa Seca, no Agreste paraibano, em 2006. As portarias determinando as expulsões foram publicadas no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (15) e assinadas pelo comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves.

De acordo com a portaria, os três foram condenados em 2009 pela 4ª Vara Criminal de Campina Grande. A sentença foi mantida pelo Tribunal de Justiça da Paraíba e transitou em julgado em 2013 para dois dos militares, e em 2014 para o terceiro, não cabendo mais recursos para a decisão.

Ainda segundo o documento, os três policiais são acusados de, em 6 de setembro de 2006, agredir um suspeito dentro da Delegacia de Polícia de Lagoa Seca, “causando-lhe sofrimento físico, com o fim de obter confissão sobre suposta prática de crime de roubo”. A sargento e um dos soldados estavam lotados no 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Campina Grande, e o outro soldado atuava no 9º BPM, em Cuité.

www.reporteriedoferreira.com