BESSA GRILL
Início » Destaque » Real consegue virada épica, goleia Atlético e conquista 10º título da Champions

Real consegue virada épica, goleia Atlético e conquista 10º título da Champions

24/05/2014 23:55

Inacreditável! Só há uma palavra que pode descrever o feito do Real Madrid em Lisboa na tarde deste sábado. Após estar perdendo para o Atlético de Madri até os 48 minutos do segundo tempo, o time merengue renasceu. Com um gol salvador de Sérgio Ramos, empatou e levou a partida para a prorrogação. E aí brilharam as estrelas de Gareth Bale, Marcelo e Cristiano Ronaldo, que marcaram no segundo tempo complementar. Com a vitória por 4 a 1, a equipe conquistou “La Décima”, o décimo título da Liga dos Campeões em sua história.

Getty Images

Real Madrid conquista seu 10º título da Liga dos Campeões

O enredo não poderia ser mais emocionante para os madridistas. O que deveria ser um neutro estádio da Luz havia se transformado no Vicente Calderón diante da empolgação dos torcedores do Atlético. Assim, “fora de casa”, ainda viu o rival abrir o placar com Godín no primeiro tempo. E a igualdade veio de forma dramática, somente nos acréscimos.

Na prorrogação, faltaram pernas para os colchoneros e o Real sobrou em campo. Bale, que no tempo normal desperdiçou duas chances claríssimas, fez em rebote de Courtois. Marcelo fechou a conta quando os atleticanos já haviam se entregado. Ainda sobrou tempo para Cristiano Ronaldo, de pênalti, deixar o seu.

Confira fotos do duelo em Lisboa:

Time do Real Madrid posa antes da decisão. Foto: Getty Images
1/30

Com o título, o Real Madrid se consolida ainda mais como o maior vencedor da Liga dos Campeões. A taça não ficava com os merengues desde 2002. O Milan, segundo time com mais conquistas, tem sete. O clube de Carlo Ancelotti ainda faturou a Copa do Rei nesta temporada.

Já o Atlético de Madri amarga nova derrota cruel na final da mais importante competição europeia. Depois do vice em 1974 quando chegou a estar vencendo o Bayern de Munique na prorrogação, a equipe sofre porque estava vencendo até os lances finais. Fica de consolação aos comandados de Diego Simeone o título espanhol, que rompeu jejum de 18 anos.

Diego Costa dura só oito minutos e jogo começa travado

Getty Images

Diego Costa sai de campo com apenas 8 minutos de jogo, desfalcando o Atlético

A grande dúvida antes do início da decisão da Champions era se Diego Costa, principal jogador do Atlético de Madri na temporada, iria a campo. O camisa 19 começou entre os titulares, mas sua participação durou somente oito minutos. Após um ataque pela direita, o atacante sentiu a lesão muscular na coxa direita e teve que sair. O técnico Simeone teve, assim, que gastar sua primeira substituição e colocou Adrián López.

A alteração, porém, não mudou em nada o que vinha sendo a partida até então: dois clubes se estudando muito e fechados na defesa. O Real Madrid até ensaiou pressionar o Atlético em seu campo de defesa, mas preferiu dar espaço ao rival e explorar contra-ataques. A primeira finalização veio somente aos 27 minutos, em falta cobrada por Cristiano Ronaldo que parou nas mãos do goleiro Courtois.

Bale perde gol feito e Atlético não perdoa

Getty Images

De cabeça, uruguaio Godin marcou para o Atlético de Madri no primeiro tempo

A chance de ouro do Real surgiu aos 32. O volante Tiago saiu jogando errado e deu a bola de presente para Gareth Bale. O galês disparou e invadiu a área, mas, da marca do pênalti, chutou muito mal, à esquerda de Courtois. Quatro minutos depois, os colchoneros fizeram o merengue pagar pelo erro.

Depois de escanteio para o Atlético pela direita, a zaga do Real afastou. No rebote, novo lançamento, que Godin desviou de cabeça. Casillas ficou no meio do caminho e não conseguiu impedir o gol: 1 a 0 no “Vicente Calderón” português.

“Si, se puede”

Getty Images

Sergio Ramos celebra o gol de empate no final do jogo

Tradicional grito de clubes sul-americanos, o “si, se puede” tomou conta do estádio da Luz no segundo tempo. Foi o ritmo que embalou a pressão do Real Madrid em busca do empate. E ele não poderia ter vindo de forma mais dramática.

O Atlético começou a etapa final melhor, mas, com as entradas de Marcelo, Isco e Morata, o Real cresceu. O treinador Carlo Ancelotti abdicou de sua proteção no meio de campo e a partida se transformou em um ataque contra defesa.

O gol, no entanto, não saía e a partida caminhava para a vitória atleticana. Só que, após desperdiçar inúmeras chances, uma delas clara nos pés de Bale (novamente), o Real conseguiu furar o bloqueio rival aos 48 minutos: Sérgio Ramos testou firme cobrança de cruzamento e deixou tudo igual, levando a decisão para a prorrogação.

Atlético sente o golpe e Real deslancha

Getty Images

Cristiano Ronaldo marcou o quarto gol do Real Madrid diante do Atlético de Madri

O baque causado pelo gol de Sérgio Ramos foi claro. Sem pernas devido ao cansaço e desanimado, o Atlético de Madri se tornou presa fácil para o rival. Os colchoneros até resistiram no primeiro tempo da prorrogação, mas no segundo não teve como segurar.

Melhor para Bale, que pôde se redimir das chances perdidas e, de cabeça, fez 2 a 1 em rebote de Courtois aos quatro minutos. Já seria o suficiente para dar o título ao Real, porém vieram ainda mais dois baques: Marcelo, aos 12; e Cristiano Ronaldo, de pênalti, aos 15. E “La Décima” irá ao Santiago Bernabéu.

FICHA TÉCNICA
REAL MADRID 4 X 1 ATLÉTICO DE MADRI

Local: Estádio da Luz, em Lisboa (Portugal)
Data: 24 de maio de 2014 (Sábado)
Horário: 15h45(de Brasília)
Árbitro: Björn Kuipers (Holanda)
Cartões amarelos: Raúl García, Miranda, David Villa, Koke e Gabi (Atlético de Madri); Sergio Ramos, Khedira, Marcelo, Varane e Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

Gols:
Real Madrid: Sergio Ramos, aos 48 minutos do segundo tempo; Gareth Bale aos quatro, Marcelo aos doze e Cristiano Ronaldo aos 15 minutos do segundo tempo da prorrogação
Atlético de Madri: Godín, aos 36 minutos do segundo tempo

REAL MADRID: Casillas, Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Fabio Coentrão (Marcelo); Modric, Khedira (Isco) e Di María; Gareth Bale; Cristiano Ronaldo e Benzema (Morata).
Técnico: Carlo Ancelotti

ATLÉTICO DE MADRI: Courtois, Juanfran, Godín, Miranda e Filipe Luís (Alderweireld); Tiago, Koke, Gabi e Raúl García (José Sosa); Diego Costa (Adrián) e David Villa
Técnico: Diego Simeone

Por Pedro Taveira – enviado iG a Lisboa