BESSA GRILL
Início » Notícias » PSC nacional, PT e PTN pedem impugnação de Cícero: foram 14 pedidos ao todo

PSC nacional, PT e PTN pedem impugnação de Cícero: foram 14 pedidos ao todo

Quatro pedidos partiram de partidos políticos ou coligações e mais 10 vieram do Ministério Público

14/07/2012 02:42

De acordo com o calendário oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terminou nesta sexta-feira, 13, as 19h, o prazo para qualque partido, coligação ou o  Ministério Público Eleitoral solicitar a impugnação dos pedidos de registro de candidaturas. Em João Pessoa foram quatro pedidos de impugnação oriundos de partidos políticos e 10 encaminhados pelo Ministério Público.

O principal alvo dos outros partidos foi o candidato Cícero Lucena (PSDB): o PSC Nacional, a coligação Unidos por João Pessoa, liderada pelo PT, e o PTN pediram a impugnação da sua candidatura. O PTN também entrou com um pedido de impugnação contra a coligação Por amor a João Pessoa Sempre I.

Cícer foi alvo da impugnação por conta da aliança com o PSC. A convenção do partido decidiu pelo apoio ao tucano e pela indicação do médico Ítalo Kumamoto para ser seu vice, mas o presidente do diretório estadual do partido, ex-deputado Marcondes Gadelha, alega ter destituido o diretório municipal e, por tanto, a convenção não teria validade. A direção nacional do partido quer que a legenda se coligue com o PT.

Já o MPE pediu a impugnação de dois candidatos a vereador: Marcone Paiva e Eduardo Paulino. O primeiro foi pego pelo Ficha Limpa devido a irregularidades na prestação de contas quando esteve a frente da Secretaria de Esportes do Estado. Já Paulino teve problemas quando foi presidente da União Pessoense dos Estudantes Secundarista.

O PCO, PSOL, PSC, Unidos Por João Pessoa 1 e 2, Para Seguir em Frente 4, João Pessoa Mais feliz 2, Por Amor a João Pessoa 1 e 3 e João Pessoa de Futuro também foram alvo de impugnação por parte do MP por não respeitarem o critério de proporcionalidade de sexo entre as candidaturas. De acordo com o promotor Flávio Wanderley, as coligações tem 72 horas a partir da assinatura do despacho para fazer as adequações.

 

 

WSCOM