IbisO Íbis tem o orgulho de ser considerado o “pior time do mundo”, rótulo alcançado após ter seu nome registrado no Guinness Book of World Records (Livro dos Recordes) de 1991 pela maior sequência sem vitória de um time profissional (55 jogos, de 1980 a 1984). A marca negativa trouxe fama. Atual presidente do time, Ozir Ramos brinca com o fato de estar acostumado a sofrer goleadas, mas conta que o Íbis não perderia para a Alemanha por 7 gols caso se enfrentassem em um amistoso.

O mandatário do Íbis diz ter um centroavante, Cristiano Recife, que é melhor do que Fred e exalta o elenco montado para a disputa da 2ª divisão do Campeonato Pernambucano.

“Eu tenho certeza que o Íbis não perderia para a Alemanha por sete gols. Eu falo com absoluta certeza. E se a seleção brasileira jogasse mais cem vezes, não levaria sete de novo dos alemães. Seria até interessante se o Íbis pudesse jogar contra a Alemanha. A gente não venceria, lógico, mas não seria com uma goleada dessa”, disse Ozir.

“Depois do jogo, muitos pediram para eu fazer um convite à seleção para um amistoso. Mas o clima na seleção não está bom para isso”, acrescenta o dirigente.

Cristiano Recife é o homem-gol do Íbis. Experiente, ele se movimenta pouco, mas está sempre no momento certo na área, analisa o presidente do time pernambucano.

“O Cristiano Recife fica na área esperando. Sabe aquele cara que quando sobra a bola não tem pra ninguém? Esse é o Cristiano Recife. Ele na seleção ele faria mais que o Fred. Isso sem contar que temos dois velocistas no ataque, o Everton e o Luan, bons de bola”, sorri Ozir.

O presidente do Íbis idealiza o time que enfrentaria a Alemanha. Os zagueiros Matheus e Leandro, com 1,85m e 1,90m, respectivamente, seriam responsáveis por segurar Klose e Muller. Neílton seguiria os passos de Ozil no meio-campo.

Nei Elói é o técnico, e Sergião é o “Murtosa” do Íbis.

“O Neílton é um ‘pitbull’. Ele corre muito. O Ozil não veria a cor da bola. O nosso técnico é o Nei. Já o Sergião posso dizer que é o nosso ‘Murtosa’. Ele está sempre do lado do técnico passando informações”.

Estrela no peito pelo título de pior do mundo

O Íbis disputará a segunda divisão do Campeonato estadual. O uniforme apresenta uma estrela acima do distintivo, em referência ao “título” obtido no Guinness Book de equipe que mais tempo ficou sem vencer um jogo.

Tantos fiascos em campo potencializaram o lema “apaixonado até nos piores momentos”, que angaria torcedores ao Íbis.

“Nenhum clube de Pernambuco teve reconhecimento mundial. Só o Íbis tem. Sair no Guinness é o maior orgulho que tivemos. Essa estrela no peito tem valor”, explica Israel Leal, torcedor do íbis e que trabalha voluntariamente no marketing do clube.

O Íbis quase bateu seu próprio recorde negativo. Foram quatro anos sem vencer de 2008 a 2012, mas neste intervalo o time ficou sem atividades por dois anos.

Bruno Thadeu/UOL