BESSA GRILL
Início » Notícias » Prefeitura diz que exoneração de coordenador não foi política

Prefeitura diz que exoneração de coordenador não foi política

20/07/2012 22:45

A secretária de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa, Marly Lúcio, se pronunciou nesta sexta-feira (20), durante entrevista a uma emissora de rádio local, sobre a confusão envolvendo o ex-coordenador do Orçamento Democrático (OD), Tibério Limeira, e o atual secretário da Transparência, Alexandre Urquiza.

A secretária negou que a demissão de Tibério tenha ocorrido por perseguição política e garantiu que o prefeito Luciano Agra (sem partido) não apoiaria essa conduta. “Em nenhum momento o prefeito tomou atitude que pudesse se caracterizar como perseguição a ele ou qualquer outro secretário. O que ocorreu é que Tibério estava de licença para tratar de assuntos pessoais com a autorização do prefeito, mas o Orçamento estava com problemas por causa do afastamento do secretário”.

Marly afirma que a sugestão da Prefeitura foi para que a licença continuasse, sem prejuízo ao pagamento do gestor. “Nessa situação, nada mais natural que quem gerenciasse o OD fosse o secretário da Transparência, Alexandre Urquiza. Mas em nenhum momento foi colocado como moeda de troca o silêncio dele em detrimento ao posicionamento político”.

O ex-coordenador do Orçamento Democrático dá outra versão e diz que foi procurado por Urquiza com a proposta de receber salário sem trabalhar e “sem abrir mão das prerrogativas de secretário” em troca do afastamento da campanha do PSB.

Entenda o caso – Na última terça-feira (17) o então secretário do Orçamento Democrático, denunciou que teria sido procurado pelo secretário da Transparência de João Pessoa, para tratar de uma proposta ao gestor. Durante a conversa, Tibério afirma de Urquiza teria oferecido, por recomendação do prefeito Luciano Agra, que ele recebesse salário sem trabalhar para não apoiar Estelizabel Bezerra (PSB) à Prefeitura de João Pessoa. O secretário da Transparência rebateu o secretário do OD e negou as acusações. Urquiza ainda desafiou o ex-colega a provar as acusações.

Parlamentopb