BESSA GRILL
Início » Notícias » Polícia prende casal acusado de fraude e homem é assassinado em Mangabeira

Polícia prende casal acusado de fraude e homem é assassinado em Mangabeira

plantão policial desta quinta-feira ( 05 ) na Grande João Pessoa.

5/02/2015 02:50

 

e8ae30151a20150204112511Uma mulher, 34 anos, e um homem de 47 anos foram presos acusados de participação em esquema fraudulento no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, totalizando um prejuízo superior a R$ 500 mil. A prisão ocorreu nesta quarta-feira (4), em João Pessoa.

Segundo a Polícia Militar, o casal, que é do Rio de Janeiro, onde funcionava a sede do esquema, vinha abrindo contas bancárias em agências da Paraíba há pelo menos seis meses. A dupla faziam empréstimos com documentos de aposentados falecidos, sacavam o dinheiro liberado pelos bancos e deixava para o INSS pagar prestações, de forma consignada.

A mulher foi presa em flagrante quando tentava fazer um empréstimo em uma operadora de crédito no centro da capital.  Logo após ela informou a participação do homem, que foi preso em Sapé, Zona da Mata paraibana, em uma casa, que servia de escritório da quadrilha. Na casa foram encontrados diversos cartões de bancos, documentos, chips de várias operadoras e uma quantia em dinheiro.

O casal foi encaminhado à Sede da Polícia Federal, em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa. A polícia já está a procura dos outros participantes do esquema.

Homem sem antecedentes criminais é assassinado em Mangabeira

10959592_882122398507329_2673012761272748023_nUm homicídio foi registrado no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, na manhã dessa quarta-feira (04). Um homem foi atingido por tiros na porta da residência onde morava, por volta das 9h.

Ele tinha 31 anos de idade e, de acordo com a Polícia Militar, não havia registro de antecedentes criminais contra a vítima. Ninguém soube informar como o crime aconteceu e nem se viram algum suspeito ou ouviram disparos de revólver.

O corpo do homem foi periciado pelos profissionais do Instituto de Polícia Científica (IPC) e depois encaminhado para a Gerência de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), no bairro Cristo Redentor. Nenhum suspeito de ser autor do crime foi detido até o momento.

 

www.reporteriedoferreira.com