BESSA GRILL
Início » Notícias » Plantão: Sargento da Polícia Militar da PB morre em acidente no brejo Paraibano

Plantão: Sargento da Polícia Militar da PB morre em acidente no brejo Paraibano

plantão da noite de segunda-feira ( 25 ) para terça-feira ( 26 ).

26/11/2013 09:06

Sargento da Polícia Militar da PB  morre em acidente no brejo Paraibano

acidente com pmNa noite dessa segunda-feira (25), uma colisão entre dois veículos acabou ceifando a vida do Sargento Asilvan, residente do bairro Mangabeira, em João Pessoa. O acidente também envolveu um guarabirense, morador do bairro São José.

 

Segundo informações, Aucivan Benício de Sá, Sargento do Batalhão Ambietal, trafega na PB-073, no trecho que liga Guarabira à Mari em um Fiat Uno de cor verde e placas OEOP-5487/JP quando foi surpreendido pelo veículo Fiat Strada que vinha conduzido por Antônio Costa de Andrade, vulgo “Dunga”. O mesmo vinha em direção à Guarabira enquanto Aucivan tinha João Pessoa como destino final.

 

A equipe de socorristas do Corpo de Bombeiros foi acionada, entretanto, Aucivan veio a óbito ainda no local. “Dunga” foi socorrido, levado para o Hospital Regional de Guarabira e em seguida encaminhando para o Hospital de Trauma, na capital.(Portal Independência.com)

 

 

 

 

Rebelião de presos em Patos pode provocar transferências para o PB1

É grande a movimento na frente do presídio (Crédito: Patos Online)

A identificaçãol dos responsáveis pela rebelião no Presídio de Segurança Máxima “Dr. Romero Nóbrega”, em Patos, será a primeira providência da Secretaria de Administração Penitenciária que deverá providenciar a transferência dos detentos identificados, provavelmente, para o Complexo Penitenciário PB1, em João Pessoa.

Mesmo sem anunciar nomes, o secretário Wallber Virgolino, que acompanha a rebelião desde o seu início, na tarde dessa segunda-feira, 25, acredita que o motim foi orquestrado por cinco detentos que haviam sido transferidos do Serrotão (Campina Grande) para Patos.

Ainda não a informação oficial, mas alguns detentos que conseguiram falar por telefone com profissionais de imprensa e com familiares dão conta da existência de mortos dentro do presídio.