BESSA GRILL
Início » Notícias » Plantão: Em Patos no alto sertão pedreiro é brutalmente assassinado

Plantão: Em Patos no alto sertão pedreiro é brutalmente assassinado

polícia não conseguiu prender acusado ou suspeito do crime.

1/12/2013 17:23

Homem é morto a pauladas em Patos

Mais Patos

Na noite desse sábado (30), um homicídio foi registrado na comunidade conhecida como Rua do Meio, no município de Patos, interior da Paraíba. O crime aconteceu por volta das 19h.

Luciano Soares da Silva, de 30 anos, era servente de pedreiro e foi assassinado na Rua Pedro Firmino. Informações dão conta que a vítima bebia com a esposa no Mercado Central.

Em certo momento, eles foram até a casa da companheira do Luciano. Ao sair da casa da sogra, o servente foi atacado por dois homens que tinham em mãos porretes de madeira, os quais foram usados para matar o homem. A mulher nada pode fazer, pois esteve sob ameaça se tentasse defende-lo.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, SAMU, atendeu a vítima ainda ferida, mas ele não resistiu aos golpes sofridos e morreu na ambulância.

Segundo a esposa do Luciano, ele não tinha inimigos no local, pois nunca havia estado ali antes. Ela acredita que o companheiro foi assassinado por engano.

Não se sabe o que teria motivado o homicídio. A polícia continua em busca dos acusados de cometer o crime brutal.

Blitzes da Lei Seca flagra quase 30 motoristas

Após quase seis horas, a Operação Lei Seca flagrou 30 motoristas sob efeito do álcool
Em João Pessoa. Em mais uma noite de blitzes fiscalizando o cumprimento da lei, a ação aconteceu em três pontos da capital paraibana, sendo 381 veículos abordados, 421 testes aplicados e 28 flagrantes de consumo de álcool. Duas pessoas foram presas durante a operação, mas por desacato a autoridade e não por dirigir alcoolizado. A Operação Lei Seca é realizada diariamente pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran).

De acordo com o coordenador da Operação Lei Seca, major Rochester Vale, a principal missão é conscientizar e educar os condutores, mas também buscar evitar os acidentes de trânsito em todo o Estado. “As pessoas têm recebido as ações de forma positiva, a grande maioria nos parabeniza, elogia as operações nas redes sociais. Estamos retirando de circulação quem tiver ingerido álcool e for flagrado dirigindo, e o cumprimento da lei beneficia toda a sociedade”.

A ação contou com cerca de 50 pessoas, incluindo policias e agentes de trânsito e 15 viaturas, com abordagens em diversas regiões da cidade, como as avenidas Beira Rio, Epitácio Pessoa, Flávio Ribeiro Coutinho e Rui Carneiro. As blitzes têm acontecido todos os dias, em várias localidades da região metropolitana de João Pessoa, mas a meta é interiorizar as ações em 2014, com os agentes de trânsitos aprovados no concurso público neste ano.

A contadora Fabiola Gomes, 30, disse já ter sido parada em outras operações, mas que foi a primeira onde teve de realizar o teste com o etilômetro, em uma blitz realizada na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho, o ‘retão de Manaíra’. Ela faz questão de destacar a forma como foi feita a abordagem. “Foi tudo muito tranquilo, os agentes foram extremamente educados, pediram para eu apresentar os documentos e me convidaram a fazer o teste do bafômetro. Fiz sem problema algum, já que estas ações são necessárias para prevenir acidentes e tem muita gente que bebe e dirige”, relata.

Mesmo quem foi flagrado na Lei Seca aprova as ações por garantir a segurança da maioria da população. A comerciante Arlete Iara, 51 anos, admitiu que ingeriu duas latas de cerveja e se negou a fazer o teste do bafômetro. Mesmo tendo a carteira de motorista apreendida e recebendo multa, ela disse que todo o transtorno vale a pena, pois evita que acidentes graves aconteçam. “Tem muita gente que bebe e faz besteira por aí, o negócio é deixar de beber e dirigir mesmo, pra não ter que passar por isso”, explica.

Procedimento rápido – O procedimento é simples: o motorista do veículo é parado e os agentes de trânsito pedem para que ele apresente os documentos do carro e do condutor, enquanto o veículo é vistoriado. Neste momento, o condutor é convidado a fazer o teste de consumo de álcool utilizando o etilômetro, nome oficial do popular bafômetro. Em caso de recusa, é feito um procedimento administrativo com multa de R$ 1.915,40 e com o registro de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista, que é apreendida. Um parente devidamente habilitado é chamado para retirar o carro do local. A penalidade é considerada gravíssima.

Se o motorista aceitar fazer o teste e for detectado o volume entre 0,05 e 0,33 miligramas de álcool por litro de ar exalado, o motorista responde ao mesmo processo administrativo do caso da recusa em realizar o teste. Caso o resultado seja superior a 0,34mg/l, o condutor é encaminhado para a delegacia para ser lavrado a prisão em flagrante e uma fiança é estipulada para a soltura. Se o condutor se negar a fazer o teste do bafômetro, mas os agentes perceberem que ele não tem condições de dirigir, o procedimento é igual ao flagrante por consumo superior a 0,34mg/l.

386 prisões em um ano – Desde que foi criada, em 21 de setembro do ano passado, a Operação Lei Seca flagrou 2.684 motoristas embriagados e 368 chegaram a ser presos, incluindo os números da operação deste sábado. Neste período, a Operação Lei Seca abordou 39.115 veículos e aplicou 35.100 testes do bafômetro.

Só este ano, foram abordados 26.717 veículos e aplicados 26.263 testes de alcoolemia. De janeiro até agora, 1.834 motoristas foram flagrados dirigindo sob efeito do álcool e 258 foram presos.

da Redação (com assessoria)