BESSA GRILL
Início » Esportes » Patricia Amorim não segura as lágrimas: ‘Acho que sofri preconceito’

Patricia Amorim não segura as lágrimas: ‘Acho que sofri preconceito’

Patricia Amorim não segurou as lágrimas. Antes mesmo do anúncio da vitória de Eduardo Bandeira de Mello, a mandatária falou sobre sua trajetória no clube nos últimos anos. No balanço, a presidente falou sobre os momentos difíceis, mas ressaltou sua coragem à frente do rubro-negro.

4/12/2012 06:26

Rio – Patricia Amorim não segurou as lágrimas. Antes mesmo do anúncio da vitória de Eduardo Bandeira de Mello, a mandatária falou sobre sua trajetória no clube nos últimos anos. No balanço, a presidente falou sobre os momentos difíceis, mas ressaltou sua coragem à frente do rubro-negro.

Patricia dá abraço em Eduardo Bandeira | Foto:  Carlos Moraes / Agência O Dia

Ao traçar uma análise, ela revelou que foi alvo de preconceito e se emocionou ao falar sobre o ídolo Zico. O ex-jogador participou da gestão de Patricia, mas após uma relação de desgaste decidiu deixar o clube.

Zico, maior ídolo do clube, apoiou declaradamente a chapa de Bandeira de Mello o que pesou para vitória do candidato.  A tendência é que o Galinho participe do novo departamento de futebol. Veja alguns trechos da entrevista com Patricia Amorim.

Derrota nas urnas
Estou tranquila. Não sei quantos votos fiz. A minha meta é o mesmo número da última eleição e um pouco mais. Aprendi assim. Eu fazia o meu tempo (como nadadora) e tentava melhorar. Não sabia o tamanho do adversário. O time era Campeão Brasileiro e eu fui eleita no dia seguinte. A voz do povo é a voz de Deus. O retorno que tive é que foi o pleito sem desconforto e acho que sempre passei serenidade e tranquilidade. Tivermos recordes de presença. Fico feliz por ser uma mulher que todos se juntaram para vencer. Às vezes você ganha perdendo. Seu entro, não teria a aprovação do torcedor. Seria uma tendência. Pelo menos deixei um legado. Espero que continue e melhore.

Relação com a torcida
Em algumas situações, acho que houve excesso. A tolerância era nenhuma. Por ser mulher, acho que sofri preconceito. Mas, acho que passei uma mensagem de mulher corajosa. Na minha chapa, não tem nenhum ex-presidente. Na outra, tem vários. Sou uma mulher guerreira e vou continuar lutando.

Zico

Ouvi do Zico uma coisa que eu estava esperando muito tempo (chorando muito). Eu também amo o Zico. Ele me deu parabéns pela condução de todo o processo. O Vanderlei (Luxemburgo) é um campeão. Foi o meu técnico. Recebi uma mensagem também do Deivid. Fiz amigos no futebol.

Desafio no Fla
Adorei. Sofri. Mas como diz o Roberto Carlos: Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi, e eu vivi. Chego ao final com honra. Nunca renunciei e não joguei a toalha. Adorei. Foi muito bom.

Futuro
Vou cuidar dos meus filhos, um deles ganhou uma bolsa na escola (estudo). Hoje tinha uma apresentação de futebol do meu filho mais novo e não fui. Quero viver isso, esse tempo não volta. Agora é descansar.

Transição
A transição será tranquila. Tudo que tenho e sou devo ao Flamengo. Não posso virar as costas em qualquer tempo. Seja com presidente, funcionária ou conselheira. O Eduardo me surpreendeu. Eu não conhecia. Tem filhos gêmeos como eu, e tem uma mulher maravilhosa.

Despedida

Missão cumprida. Se errei, peço desculpas. Fiz o que tinha condição para fazer. Todos os ex-presidentes se uniram contra, isso mostra a minha força. Dá uma sensação de força, de poder. Se não ganhei nos votos, ganhei nos dias de trabalho.

RELACIONADAS
  • 1.Eleito, Bandeira de Mello avisa: ‘Não quero repetir os erros do passado’
  • 2.Patricia Amorim não segura as lágrimas: ‘Acho que sofri preconceito’
  • 3.Confirmado! Eduardo Bandeira, da chapa azul, é o novo presidente do Flamengo
  • 4.Segunda urna é apurada e Eduardo Bandeira segue na frente

 

Do Ig