BESSA GRILL
Início » Notícias » Para o PT, Temer na articulação era a única saída para Dilma

Para o PT, Temer na articulação era a única saída para Dilma

O chefe da Casa Civil foi justamente quem perdeu o papel de articulador do governo e, por seu histórico, afirmam, não vai ceder tão facilmente.

8/04/2015 11:58

 

Pegos de surpresa pela forma como a presidente Dilma Rousseff resolveu a articulação política do governo, aliados e colegas de partido afirmam que a ideia de dar mais poder ao vice Michel Temer era, na prática, a única saída para a presidente. Qualquer outra alternativa, neste momento, deixaria a presidente enfraquecida. Em geral, os petistas elogiaram a decisão e falaram até mesmo em “xeque-mate” no PMDB, embora reconheçam que há um risco futuro embutido na estratégia.

Dilma-Temer

Dilma e Temer

Uma tese que circulou nas rodas petistas ontem à noite é que Dilma tem menos controle sobre Temer do que teria sobre um ministro qualquer. Até aí tudo bem, prossegue um aliado da presidente, já todos sempre disseram que o problema maior na articulação era a própria Dilma e não quem ocupava a Secretaria de Relações Institucionais. Mas, se porventura qualquer problema maior surgir na relação com o vice, Dilma não pode simplesmente trocar o titular da articulação. Afinal, trata-se do vice-presidente da República.

Um que pode dificultar o andamento da estratégia é Aloizio Mercadante, que na visão dos colegas dificilmente vai facilitar a vida do vice-presidente na nova função.  O chefe da Casa Civil foi justamente quem perdeu o papel de articulador do governo e, por seu histórico, afirmam, não vai ceder tão facilmente.

Mas os petistas também concordam que a situação no governo tornou-se insustentável e que qualquer risco futuro é irrelevante diante da necessidade de resolver o quanto antes os problemas na relação com o PMDB. “Ela devolveu uma criança que chorava sem parar para a mãe”, comparou um aliado de Dilma. Sem resolver esse problema, argumenta outro petista, não haverá terreno nem mesmo para se pensar numa volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida presidencial de 2018.

www.reporteriedoferreira.com  Por Ig