BESSA GRILL
Início » Notícias » Mortes de estudantes Raíza Guedes e Ronaldo Soares completam um ano nesta segunda

Mortes de estudantes Raíza Guedes e Ronaldo Soares completam um ano nesta segunda

Os jovens estavam num Fiat Palio, voltando de uma festa, quando uma camioneta chocou-se de frente com o carro

15/07/2012 23:13

As mortes dos estudantes Raíza Guedes e Ronaldo Soares completam um ano nesta segunda-feira (16). Os adolescentes foram mortos durante um acidente de trânsito no cruzamento entre as avenidas Epitácio Pessoa e Amazonas, no bairro dos Estados, em João Pessoa.

Os jovens estavam num Fiat Palio, voltando de uma festa, quando uma camioneta chocou-se de frente com o carro. Além de Raíza e Ronaldo, estavam no veículo, Vanessa Delino e Vamberto Gomes, que também ficaram feridos e precisaram ser socorridos para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

O motorista que ocasionou o acidente, Rodrigo Artur da Fonseca, estava embriagado e teria avançado o sinal vermelho, segundo relatos de testemunhas. Ele negou-se a fazer o teste do bafômetro.

Missa

Neste domingo (15), a família de Raíza Guedes celebrou a missa de um ano da morte da estudante, às 10h, na Paróquia São Pedro São Paulo, no bairro João Agripino.

Deusimar Guedes, pai da jovem e presidente da Comissão de Políticas de Segurança e Drogas da OAB-PB, afirmou que a filha era bastante alegre e dinâmica. “Ela fazia o curso de Serviço Social porque queria ajudar os presos. Ela acreditava na recuperação das pessoas e eu admirava muito isso nela”, relatou.

Prisão do acusado

De acordo com o promotor do caso, Edjanir Luna, o motorista que causou o acidente que vitimou Raíza Guedes e Ronaldo Soares, Rodrigo Artur da Fonseca, de 34 anos, está preso e é acusado de homicídio qualificado, porém, ainda não foi julgado pelo tribunal do júri.

Raíza Guedes

Raíza Lourdes da Silva Guedes tinha 17 anos, era filha do Policial Federal Deusimar Guedes e havia terminado o 3º ano no Colégio e Curso João Machado, em João Pessoa.

Ronaldo Soares

Ronaldo Soares era percussionista da banda Forró Bakana e trabalhava como maqueiro no Hospital Cândida Vargas, em João Pessoa. Segundo Júlio César, primo dele, os jovens voltavam de um show na praia de Intermares, em Cabedelo.

 

 

Portal Correio