BESSA GRILL
Início » Notícias » Morre no Trauma comerciante alvejado a tiros e ” Cachorrinho ” é morto com vários tiros.

Morre no Trauma comerciante alvejado a tiros e ” Cachorrinho ” é morto com vários tiros.

2/07/2014 12:11

O comerciante Adriano Feliciano Quaresma, de 32 anos faleceu no Hospital de Emergência e Trauma “Senador Humberto Lucena”, em João Pessoa. Ele estava internado desde o dia 20 de junho, após ser baleado na cidade de Bayeux.

A motivação e a identificação dos autores do assassinato ainda são desconhecidas da polícia, apenas as informações dão conta que os disparos foram efetuados por um homem que estava de carona de uma moto.

Segundo a polícia colheu no local do crime, no início da manhã do dia 20 de junho, Adriano Feliciano caminhava por uma via conhecida como ‘Rua do Cabaré’, quando foi interceptado por uma dupla de motocicleta.

A vítima se dirigia para seu estabelecimento, uma loja de peças para motos quando o carona efetuou os disparos que atingiram a cabeça e o ombro de Adriano.

O aspirante Nilvan Alves, da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), de Bayeux e que atendeu a ocorrência, disse que no local do fato ninguém quis falar sobre a tentativa de homicídio.

O fato está sendo apurado pela Delegacia de Polícia de Bayeux que não tem informações sobre a motivação do crime, mesmo porque nada foi levado pelos bandidos.

Polícia não identifica autoria de assassinato em Catolé do Rocha

“Cachorrinho” foi morto em plena via pública (Crédito: Catolé News)

A polícia ainda não tem informações sobre a autoria do assassinato do adolescente Lucas Pereira da Silva, conhecido por “Cachorrinho”, ocorrido na noite dessa terça-feira, 1º, na cidade de Catolé do Rocha.

O crime aconteceu por volta das 18h45, na Avenida Deputado Américo Maia, na comunidade Rua da Palha, próximo ao Terminal Rodoviário. Segundo as primeiras informações, a vítima foi morta com disparos de arma de fogo.

A Polícia Militar foi acionada, isolou a área até a remoção do corpo para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal de Patos. “Cachorrinho” era bastante conhecido e já havia sido detido várias vezes pela polícia.