BESSA GRILL
Início » Cidades » Moradores de Santa Luzia ‘fecham’ a BR 230 em protesto contra a falta de água

Moradores de Santa Luzia ‘fecham’ a BR 230 em protesto contra a falta de água

11/04/2013 16:05

Moradores protestam e pedem providências da Cagepa (Crédito: Blog Quilombo Ursula)

Moradores do município de Santa Luzia, no Vale do Sabugi, promovem ato público, na manhã desta quinta-feira (11), em protesto contra a falta de água que assola a cidade já por vários dias. O movimento parou o trânsito em trecho da BR-230, próximo ao bairro Nossa Senhora de Fátima, no sentido João Pessoa/Patos.

Segundo representantes do movimento, a falta de água nas torneiras já dura cerca de 53 dias em algumas residências, principalmente dos bairros Frei Damião, São Sebastião e Nossa Senhora de Fátima. O ato público foi uma forma encontrada pelos moradores para solicitar a Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa) que normalize o abastecimento nas localidades que ainda sofrem com o problema.

 

Trânsito da BR-230 ficou parado por duas horas em Santa Luzia (Crédito: Sertão 1)

Os manifestantes continuam no local negociandocom representantes da Cagepa de Patos. O trafego dos veículos está sendo liberado aos poucos.

Entenda: problema antigo

 

Moradores sofrem há 45 dias com a falta de água nas torneiras (Crédito: Sertão 1)

Não é de hoje que o município de Santa Luzia vem sofrendo com a falta de água nas torneiras. Recentemente um problema parcial na rede de transmissão da adutora Coremas/Sabugi interrompeu o abastecimento da cidade por cerca de 20 dias

O principal manancial de Santa Luzia está quase seco, sem condições de abastecimento. A esperança dos santaluzienses parece ter mesmo chegado ao fim. A população cobra da prefeitura local a reativação urgente da rede de poços que, por um tempo, abasteceu o município.

Mesmo com o secretário de Estado da Infraestrutura, o ex-senador Efraim Morais, sendo natural de Santa Luzia, o problema persiste. Por enquanto, a única solução para os moradores tem sido a compra de água potável junto a empresários da região, donos de poços particulares.

Da Redação com informações do Sertão 1