BESSA GRILL
Início » Internacionais » Ministro venezuelano é acusado nos Estados Unidos de ajudar chefões do narcotráfico

Ministro venezuelano é acusado nos Estados Unidos de ajudar chefões do narcotráfico

Tareck El Aissami, aliado de Nicolás Maduro, contratou aviões privados norte-americanos para reuniões particulares na Turquia e na Rússia.

8/03/2019 17:58
Ministro da Indústria da Venezuela, Tareck El Aissami — Foto: Marco Bello/Reuters

Ministro da Indústria da Venezuela, Tareck El Aissami — Foto: Marco Bello/Reuters

O ministro da Indústria e ex-vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, foi acusado em uma corte de Nova York de violar a lei de chefões estrangeiros de tráficos de drogas, informou nesta sexta-feira (8) o procurador federal de Manhattan.

“Usou sua posição de poder para se envolver no narcotráfico internacional”, “contornou as sanções e violou a lei americana sobre barões da droga estrangeiros”, disse Angel Meléndez, agente especial do departamento de Segurança Nacional, citado no comunicado.

O procurador dos Estados Unidos Geoffrey Berman acusou El Aissami de contratar empresas norte-americanas para fornecer aviões privados, uma forma de violar sanções. Com os jatos, ele poderia viajar pelo mundo para reuniões particulares em países aliados do regime de Nicolás Maduro, como Turquia e Rússia.

Presidente turco Recep Tayyip Erdogan (segundo à esquerda) chega à Venezuela ao lado de sua mulher, da vice-presidente venezuelana Delcy Rodríguez e do vice de Economia Tareck El Aissami — Foto: Reprodução/ Twitter/ Delcy Rodríguez

Presidente turco Recep Tayyip Erdogan (segundo à esquerda) chega à Venezuela ao lado de sua mulher, da vice-presidente venezuelana Delcy Rodríguez e do vice de Economia Tareck El Aissami — Foto: Reprodução/ Twitter/ Delcy Rodríguez

Além dele, o empresário venezuelano Samark Jose Lopez Bello foi acusado de violar a lei dos chefões estrangeiros de narcotráficos. Eles também violaram sanções impostas pelo departamento do Tesouro dos Estados Unidos. Ambos são, agora, considerados foragidos da Justiça em Nova York.

Até o momento, o governo da Venezuela não comentou o assunto.

www.reporteriedoferreira.com.br Por G1