BESSA GRILL
Início » Notícias » Milhares protestam contra preparativos para as eleições no Níger

Milhares protestam contra preparativos para as eleições no Níger

Manifestantes denunciam irregularidades na lista de eleitores. Eleições acontecem em fevereiro; atual presidente, Issoufou, é o favorito.

1/11/2015 19:14
Cartazes pedem eleições limpas e auditoria completa no processo de registro eleitoral (Foto: AFP Photo/Boureima Hama)Cartazes pedem eleições limpas e auditoria completa no processo de registro eleitoral (Foto: AFP Photo/Boureima Hama)

Milhares de manifestantes anti-governo protestaram na capital do Níger neste domingo (1º) contra o que denunciam ser irregularidades na lista de eleitores para as eleições presidenciais do começo de 2016.

Os manifestantes carregaram faixas com os dizeres “O povo clama por eleições limpas” e “Não à ditadura” e pediram auditoria completa no processo de registro eleitoral.

O Níger, pobre país produtor de urânio localizado na região do Sahel no Oeste Africano, vai realizar eleições presidenciais em fevereiro, e o atual presidente Mahamadou Issoufou é o favorito para ganhar um novo mandato de cinco anos.

Issoufou, grande aliado do Ocidente contra os grupos radicais islamitas, tem boas chances contra uma oposição que anda enfraquecida. Seu partido, o PNDS, prevê uma vitória em apenas um turno.

Isso mesmo com o governo atual sendo incapaz de garantir segurança a regiões como Diffa, onde militantes do grupo radical nigeriano Boko Haram vêm aumentando seus ataques além-fronteira nos últimos meses, forçando as autoridades a declararem estado de emergência.

Partidos de oposição têm constantemente criticado os preparativos para as eleições, alegando que milhares de pessoas foram excluídas de um censo nacional e denunciando atrasos no processo de registro dos eleitores.

O ministro do interior do Níger Hassoumi Massaoudou já havia defendido a elaboração das listas e acusado a oposição de tentar atrasar o calendário eleitoral, em desobediência à Constituição.

“Issoufou nunca planejou organizar eleições com credibilidade com um registro eleitoral digno de confiança”, disse o líder da oposição Seyni Oumarou, em encontro com grupos políticos e líderes da sociedade civil que ocorreu imediatamente após a manifestação.

Os organizadores estimaram ter de 20 a 25 mil pessoas no protesto, enquanto policiais se recusaram a comentar. A marcha organizada para o último fim de semana fora suspensa pelas autoridades.

www.reporteriedoferreira.com