BESSA GRILL
Início » Nacionais » Marido joga álcool durante discussão e mulher tem corpo queimado no RJ

Marido joga álcool durante discussão e mulher tem corpo queimado no RJ

Adriana do Nascimento estava perto do fogão durante a discussão. Casal vive junto há 12 anos e tem 2 filhas; uma presenciou a agressão.

28/04/2015 14:53

A polícia prendeu um homem suspeito de jogar álcool na mulher enquanto ela cozinhava em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Como mostrou o RJTV desta terça-feira (28), os médicos disseram à família de Adriana Moreno do Nascimento, de 35 anos, que as queimaduras são graves e o estado de saúde dela é estável. Ainda não há previsão de alta.

Adriana teve queimaduras no rosto, no braço direito e nos seios. Os médicos disseram à família que as queimaduras são de 2º e 3º graus. Ela está internada desde sexta-feira no CTI do Hospital Mari Leoni, em Duque de Caxias.

Parentes da vítima contaram que ela estava na cozinha, de frente para o fogão, quando começou uma discussão com o companheiro Erlon da Silva Araújo, por volta das 21h. Segundo testemunhas, ele teria jogado álcool no corpo da mulher após o desentendimento — as chamas do fogão rapidamente a queimaram.

O caso foi registrado na delegacia de Duque de Caxias e é investigado pela Delegacia de Proteção à Mulher (Deam). Parentes prestaram depoimento e disseram que Erlon procura um advogado antes de se apresentar. Ele trabalha como segurança.

Erlon vive há 12 anos ao lado de Adriana. O casal tem duas filhas e uma das crianças presenciou toda a agressão e estava em estado de choque. A mãe de Adriana acompanhou a relação dos dois desde o início e já pediu várias vezes para a filha se separar do companheiro.

“Ele bate na minha filha na frente das minhas netas, ela ficam chorando, gritando. Ele não respeita ninguém”, contou a dona de casa Maria Célia Moreno.

Marido joga álcool durante discussão e mulher tem corpo queimado no RJ (Foto: Reprodução/TV Globo)Marido joga álcool durante discussão e mulher tem corpo queimado no RJ (Foto: Reprodução/TV Globo)

As brigas e discussões se tornaram tão frequentes que a avó ofereceu abrigo para ela em outra casa. “Já ofereci casa para ela sair fora, mas ela não consegue se separar dele. A minha casa está lá. Agora quando chegar do hospital eu vou botar ela lá na minha casa”, disse a dona de casa Olinda Pacheco Nascimento.

Adriana é servente e trabalha como diarista nas horas vagas. A família não sabe até quando ela vai permanecer no hospital, mas já trocaram a fechadura da porta de casa. Todos estão assustados com a violência.

“Eu quero justiça, prende ele, porque ele está merecendo. Minha filha sofre muito com ele, na mão dele”, afirmou Maria Célia Moreno.

Suspeito preso por feminicídio
No início da tarde, a Polícia Civil informou que agentes da Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (DEAM/Caxias) prenderam Herlon da Silva Araújo, por suspeita de tentativa de feminicídio. Ele foi preso na comunidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão.

Erlon teve a prisão cautelar decretada pela Justiça. A vítima já foi ouvida por agentes da Deam, apesar dos graves ferimentos.

www.reporteriedoferreira.com G1