Polícia usou bombas para afastar manifestantes, que responderam com paus; cerca de 25 mil pessoas participam do protesto em defesa de eleições diretas

Manifestantes entram em confronto com a polícia durante ato contra o presidente Michel Temer em Brasília
Reprodução/ Twitter/ @GeorgMarques

Manifestantes entram em confronto com a polícia durante ato contra o presidente Michel Temer em Brasília

Ao menos 25 mil pessoas realizam desde o início da manhã desta quarta-feira (24) uma marcha em protesto contra o presidente Michel Temer  e contra as reformas defendidas pelo governo, em Brasília. A estimativa é da Polícia Militar da capital federal, que empenhou 1.400 agentes no esquema de segurança montado para a manifestação, que conta ainda com 100 policiais civis.

Por volta das 13h, houve confusão e confronto entre a PM e um grupo de manifestantes que tentou furar o bloqueio nas proximidades da Esplanada dos Ministérios. Os policiais usaram gás de pimenta e bombas para afastar o grupo, que respondeu com o arremesso de paus que até então eram usados como hastes para bandeiras. O número de feridos não foi informado até o momento. Os organizadores do ato, batizado de Ocupa Brasília , estimam que até 100 mil manifestantes participem da marcha rumo ao Congresso Nacional.

O ato desta quarta-feira é organizado por uma série de movimentos sociais, como a Frente Brasil Popular, o movimento Povo sem Medo e a União Nacional de Estudantes (UNE). Também são responsáveis pelos protestos diversas centrais sindicais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Ocupa Brasília reúne movimentos sociais e centrais sindicais; grupo pede renúncia de Temer e eleições diretas
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 24.5.17

Ocupa Brasília reúne movimentos sociais e centrais sindicais; grupo pede renúncia de Temer e eleições diretas

Manifestantes de várias cidades do País partiram em caravana para a capital federal desde a noite de ontem (23). Segundo os organizadores, ao menos 500 ônibus já chegaram a Brasília para o ato, que é organizado desde a última quarta-feira (17), quando surgiram as informações a respeito de gravações envolvendo o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Os diversos grupos que promovem o protesto pedem a renúncia do presidente Temer e a realização de eleições diretas . As propostas de reformas trabalhista e previdenciária também são alvos de críticas na manifestação.

Segurança

Ato contra Michel Temer é organizado desde a revelação de conversas entre o presidente e Joesley Batista
Reprodução/Twitter – @UJSBRASIL

Ato contra Michel Temer é organizado desde a revelação de conversas entre o presidente e Joesley Batista

Segundo informações da GloboNews, uma das caravanas que levava manifestantes de Goiânia e do Pará com cerca de 50 ônibus foi parada em uma blitz e os policiais apreenderam sacos com pedras e uma faca.

Os manifestantes estão proibidos de levar hastes de bandeiras, garrafas de vidro, madeiras e objetos cortantes e/ou perfurantes. Também estão previstas revistas pessoais, que serão feitas em áreas próximas aos ministérios e à Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, no coração de Brasília.

www.reporteriedoferreira.com.br Por Ig