BESSA GRILL
Início » Cidades » Mais de dez mil pessoas estão em Cuiabá participando da 18ª convenção do AA

Mais de dez mil pessoas estão em Cuiabá participando da 18ª convenção do AA

Cuiabá foi escolhida para ser a sede da 18ª Convenção Nacional dos Alcoólicos Anônimos (AA), que acontecerá no Centro de Eventos do Pantanal nos dias 6, 7 e 8 de setembro.

7/09/2012 13:14

Cuiabá foi escolhida para ser a sede da 18ª Convenção Nacional dos Alcoólicos Anônimos (AA), que está acontecendo no Centro de Eventos do Pantanal nos dias 6, 7 e 8 de setembro.

O médico homeopata Olney Fontes, especialista na doença do alcoolismo e diretor da Junta de Serviços Gerais de Alcoólicos Anônimos no Brasil (Junaab), está na Capital para avaliar os preparativos do evento e fazer um convite para a sociedade cuiabana.

Segundo Olney, a convenção é uma celebração da sobriedade e deve reunir de cinco a oito mil pessoas de todo o Brasil. São também esperados participantes da Colômbia, Peru, Venezuela, Paraguai e Estados Unidos. “O que esse evento representa é que a celebração, geralmente regada a álcool, não precisa disso para virar uma grande festa, que é o que teremos em setembro”, disse.

O início das atividades foi  marcado por uma cerimônia de desfile de bandeiras e hinos. O que se segue é uma variedade de palestras e reuniões com o tema alcoolismo, abordando a doença e sua superação.

O evento também conta  a participação do Al-Anon, associação de parentes e amigos de pessoas com alcoolismo, pois de acordo com Olney, essa é uma doença que afeta não só quem sofre dela, mas todos a sua volta. “O alcoólatra sofre uma transfiguração quando não está sóbrio, podendo ficar agressivo e afetar de forma negativa as pessoas de seu convívio”, diz. Outra situação apontada pelo médico é a amnésia alcoólica, conhecida como “apagão”. Nesse caso, o portador da doença não se lembra de suas ações depois que o efeito do álcool passa.

O AA completou 77 anos no ano passado. Foi fundado em 1935, na cidade de Ohio (EUA), por Bill Wilson, corretor da bolsa de valores de Nova York, e Bob Smith, médico cirurgião. Ambos eram alcoólatras e fundaram a irmandade com o objetivo de compartilhar suas experiências e tentar resolver o problema que tinham em comum.