BESSA GRILL
Início » Destaque » Leto Viana, Prefeito de cabedelo, agride e ameaça vereador por fazer graves denuncias

Leto Viana, Prefeito de cabedelo, agride e ameaça vereador por fazer graves denuncias

"Fui pego na covardia. Recebi uma ligação do vereador Márcio Bezerra dizendo que estava com o presidente da Câmara, Lucas, e fui até o anexo da Câmara a pedido deles.

14/03/2015 18:48

 

PrefeitoO vereador José Eudes, de Cabedelo, disse ter sido agredido fisicamente pelo prefeito do município, Leto Viana. O motivo da agressão teria sido uma série de denúncias a respeito de desmandos e empregos de parentes do gestor na administração municipal. Eudes informou que foi atraído para o encontro com Leto sem saber. Na verdade, o vereador Márcio Bezerra teria telefonado e convidado para uma conversa no anexo da Câmara, sem avisar ao colega que Leto estaria no local.

 

“Fui pego na covardia. Recebi uma ligação do vereador Márcio Bezerra dizendo que estava com o presidente da Câmara, Lucas, e fui até o anexo da Câmara a pedido deles. Depois do ocorrido, eles disseram que era o prefeito que queria conversar comigo, mas eles não disseram com medo que eu não fosse. Mas eu atendo todo mundo. Quando eu cheguei lá… e eu tenho denunciado muitos desmandos, falcatruas e safadezas… eu tinha falado que o filho e a esposa do prefeito são funcionários da prefeitura e ele [Leto] me disse que poderia dizer o que quisesse dele, mas poupasse a família. Eu argumentei que, apesar de serem parentes, eram funcionários da prefeitura”, disse Eudes.

 

O parlamentar continuou seu relato dando mais detalhes da agressão que sofreu: “Ele [Leto Viana] luta artes marciais… é faixa preta. Ele me agrediu, partiu para cima de mim. Enquanto eu tenho uma cirurgia cardíaca e tenho uma válvula e não podia medir forças com ele. Os seguranças do prefeito entraram na sala e ele tentou pegar as armas dos seguranças. Eu gravei ele perguntando onde estava a pistola ou o revólver do segurança. Fui à delegacia prestar queixa. Ele tentou me matar. Disse que eu não mexesse com ele. Ele me deu duas tapas no ombro e só não me bateu mais porque Lucas e Márcio ficaram na frente. Ele estava louco, enfurecido”.

A gravação em anexo foi feita a partir da participação do vereador no programa Rádio Verdade, da Arapuan FM.

www.reporteriedoferreira.com