BESSA GRILL
Início » Notícias » Jovem assassinado em Cruz das Armas falou a amigos, horas antes, que poderia morrer nessa terça (24)

Jovem assassinado em Cruz das Armas falou a amigos, horas antes, que poderia morrer nessa terça (24)

25/03/2015 10:44

 

d647577ee820150325090634A noite de terça-feira (24) teve homicídio registrado contra um adolescente no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. O inusitado é que o jovem estava prevendo que poderia seria morto, segundo informações da delegada que investiga o caso. Já no bairro dos Bancários, um acusado de praticar assaltos foi detido e no Hospital de Trauma, duas pessoas baleadas no Costa e Silva deram entrada na unidade, umas delas em estado grave. Informações abaixo e no Caso de Polícia, com Abrantes Júnior, ao meio-dia, na TV Tambaú, canal 5.1 e 5.0, além da transmissão on-line pelo Portal Tambaú 247.

Assaltos nos Bancários

Por volta das 20h30, um jovem acusado de praticar assaltos no bairro dos Bancários, Zona Sul de João Pessoa, foi preso na noite dessa terça-feira (24). A Polícia Militar foi acionada depois que o suspeito teria abordado diferentes pessoas na região. O rapaz foi encaminhado ao Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Mangabeira.

Vítimas de assalto baleadas

Duas pessoas deram entrada no Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena após serem vítimas de suposto assalto com tiros efetuados pelos criminosos. As duas vítimas foram baleadas no bairro Costa e Silva. Segundo informações do boletim médico da unidade hospitalar, Alan do Nascimento Soares, de 22 anos, foi internado em estado grave após ser socorrido até o local pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). E Pablo Ramon Mota Tavares, de 18 anos, recebeu assistência em carro particular, foi atendido no hospital e liberado por volta da meia-noite.

Homicídio em Cruz das Armas

 

Às 22h20, um adolescente de 16 anos foi assassinado em Cruz das Armas. O Samu foi acionado, chegou ao local, mas o jovem já estava morto. Segundo informações da polícia, ele teria envolvimento com drogas e retornava da escola quando foi executado. A delegada que investiga o caso informou que o menino saia da escola em direção à casa da namorada. Ainda segundo ela, a vítima contou no mesmo dia a amigos que estava sentindo que poderia ser morto em poucas horas.