BESSA GRILL
Início » Notícias » Homem acusado de divulgar pesquisa eleitoral é detido pela Polícia Federal em Patos no Alto Sertão

Homem acusado de divulgar pesquisa eleitoral é detido pela Polícia Federal em Patos no Alto Sertão

Homem é acusado de divulgar pesquisa irregular; ele foi detido pela polícia em sua residência

15/09/2012 20:42

Com a aproximação do pleito eleitoral do dia 7 de outubro do corrente ano, as disputas entre os candidatos e coligações se tornam cada vez mais acirradas na cidade de Patos, e a probabilidade de surgir fatos surpreendentes também.

Na manhã deste sábado, dia 15, um homem conhecido por Inácio, foi detido pela Polícia Federal em sua residência no bairro Alto Casteliano, acusado de divulgar pesquisa eleitoral irregular favorecendo a coligação “Por Uma Patos Melhor”.

De acordo com o advogado Delmiro Neto, um dos assessores jurídicos da coligação “O Melhor Pra Patos”, que tem como candidata a deputada Francisca Motta, e que esteve acompanhando o trabalho da Polícia Federal, a assessoria jurídica da coligação teve conhecimento da suposta pesquisa ainda no dia de ontem, e resolveu entrar com uma ação cautelar junto ao juiz eleitoral da comarca de Patos, para que o fato fosse averiguado.

“Nós tomamos ciência nesta última sexta-feira, de que uma pesquisa eleitoral para prefeito na cidade de Patos havia sido feita, e que essa pesquisa não correspondia aos padrões exigidos pela justiça eleitoral. Diante disso, ajuizamos uma ação cautelar que foi julgada de imediato pelo juiz, que deferiu uma liminar para busca e apreensão na residência do senhor Inácio, que supostamente teria aplicado a referida pesquisa, e ainda em todos os comitês da coligação “Por Uma Patos Melhor”, favorecida na tal pesquisa”, disse.

O advogado ainda contou que durante as diligências, a Polícia Federal encontrou uma quantia considerável de pesquisas impressas na residência do senhor Inácio, e especialmente no Comitê da coligação “Por Uma Patos Melhor”, no bairro Belo Horizonte, também foi encontrada uma quantia menor de pesquisas que se assemelham à divulgada pelo senhor Inácio.

“A partir daí a Polícia Federal deverá encaminhar o material apreendido juntamente com um relatório para o promotor eleitoral, para que este tome as providências cabíveis”, explicou o advogado.

PatosOnline