BESSA GRILL
Início » Entretenimento » Gravidez de gêmeos ou múltiplos: cuidados ajudam a reduzir os riscos

Gravidez de gêmeos ou múltiplos: cuidados ajudam a reduzir os riscos

19/07/2013 10:39

E67E6AE5FE2545C58C9602415B84D

Ter um filho é sempre uma alegria. E para algumas mulheres, uma gestação de gêmeos significa felicidade em dobro! Mas é importante que elas saibam que outros aspectos também vêm multiplicados por dois: os enjoos, o peso, e inclusive os riscos. “Aumentam os hormônios, o peso, a distribuição de nutrientes, o fluxo de sangue, entre outros… O ser humano foi feito pra gerar um bebê, quando há um a mais, é uma sobrecarga para o organismo”, pondera a obstetra Barbara Murayama, titulada pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e diretora da Clínica Gergin, em São Paulo. Por isso, ela é considerada uma gestação de risco, mesmo sendo tão desejada.Por isso mesmo, existem mais riscos para as mães, como a pré-eclâmpsia (ou seja, pressão mais alta na gravidez), diabetes, anemia… Já o bebê pode nascer prematuro, entre outros problemas. “O fator que mais explica isso é que o útero é um músculo que vai sendo distendido até o máximo, quando ele começa a contrair até o desencadeamento do parto. Na gravidez gemelar é comum que esta distensão máxima ocorra antes do tempo e o parto seja antes de 37 semanas”, relata a ginecologista Silvia Herrera, coordenadora da medicina fetal na SalomãoZoppi Diagnósticos. Mas não precisa se desesperar se o ultrassom avisar que dois ou mais bebês estão a caminho. Confira alguns cuidados que evitam que os riscos impeçam o sucesso da sua maternidade.

Grávida na consulta pré-natal - Foto: Getty Images

Invista no pré-natal

A melhor forma de controlar os riscos é observando a gravidez bem de perto. E quando isso é feito por olhos de especialistas, melhor ainda! Se prepare, pois suas visitas ao obstetra também vão dobrar. “Normalmente, no início da gestação temos uma consulta de rotina por mês, mas em caso de gemelaridade, desde o inicio temos um pré-natal mais intensivo, com pelo menos duas consultas ao mês”, contabiliza o ginecologista Augusto Bussab, especialista em reprodução humana.

MSN