BESSA GRILL
Início » Esportes » Garay e Monique vencem bloqueio rival na marra, e Brasil supera Rússia

Garay e Monique vencem bloqueio rival na marra, e Brasil supera Rússia

Europeias começam melhor, vencem primeiro set, mas seleção volta a reagir e chega à segunda vitória no Grand Prix, no tie-break, em Campinas

3/08/2013 12:51

Torneio Moutreux de Volei Feminino 2013: Brasil 3 x 0 Russia [ FIVB Montreux Volley Masters ]

Enquanto o DJ tentava animar o ginásio com uma série de hits, a seleção entrou em quadra ainda com as dores da estreia do dia anterior. A manhã de sábado prometia ser pouco agradável em Campinas. Ainda que em processo de renovação, a Rússia se apresentava como um rival duro. E, pelas mãos de Nataliya Goncharova, as europeias cumpriram o esperado. Mas, na marra, o Brasil soube reagir. Com as pancadas de Fernanda Garay, Monique e Gabi, a equipe de José Roberto Guimarães calou as provocações da estrela russa e venceu por 3 sets a 2, parciais 26/28, 26/24, 25/19, 22/25 e 15/8, na segunda partida da chave A do Grand Prix. Na sexta-feira, a vítima foi a Polônia, por 3 sets a 1.

O Brasil começou em ritmo lento. A Rússia, que renova sua seleção sem as estrelas Gamova e Sokolova, aposentadas com a camisa da seleção após os Jogos de Londres, mostrou força. Mas a equipe canarinho soube reagir no momento certo para vencer a partida. Neste domingo, a equipe volta à quadra para seu maior desafio da etapa, contra os Estados Unidos, às 10h. A TV Globo transmite a partida, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha tudo em Tempo Real.

sheila fernanda garay brasil x russia volei feminino (Foto: Alexandre Arruda/CBV)Brasileiras festejam ponto durante a apertada vitória sobre a Rússia (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

É verdade que, nos últimos anos, os Estados Unidos se apresentaram como o maior rival. Mas, antes mesmo da estreia contra a Polônia, Zé Roberto avisou: no histórico, a Rússia, assim como Cuba, sempre se apresentou como uma das maiores pedras no caminho da seleção. E, ainda pesada da partida da noite anterior, a equipe viu logo de cara que a manhã de sábado não seria das mais fáceis. Ainda que tenha aberto o placar com Juciely e uma invasão russa, o Brasil logo viu a partida se mostrar equilibrada.

A Rússia passou à frente pela primeira vez em um bloqueio de Irina Zaryazhko, fazendo 7/6. Durante toda a parcial, as rivais mostraram força e logo abriram vantagem pelas mãos de Goncharova. Chegaram a ter dois set points, salvos pelo Brasil. Mas, no fim, não teve jeito: 28/26, e as europeias largaram na frente.

Embaladas pela vitória na parcial, as russas voltaram a desgrudar no placar logo no início do segundo set. Com uma defesa forte, um bloqueio bem montado e um ataque potente, a seleção europeia dava trabalho às donas da casa. O Brasil, porém, logo equilibrou o jogo. Chegou a empatar em bola para fora de Goncharova, mas o árbitro voltou atrás e acusou um desvio no bloqueio.

Mas, se o paredão russo funcionava, o Brasil deixou tudo igual justamente em um bloqueio de Juciely (11/11). O Brasil tomou a vantagem, mas a partida seguia equilibrada. Goncharova e Kosheleva chegaram a desequilibrar em um momento e devolveram a liderança à Rússia. Juciely, em mais um bloqueio certeiro, deixou tudo igual: 21/21. As visitantes voltaram a ter um set point, mas Garay, com nove pontos apenas na parcial, voltou a se impor. E, no bloqueio de Adenízia, a seleção fechou o set em 26/24.

brasil x russia volei feminino (Foto: Alexandre Arruda/CBV)Kosheleva encara o bloqueio triplo do Brasil (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

O equilíbrio se manteve no retorno à quadra, e nenhuma das equipes conseguia se desprender no placar. Quando Goncharova superou o bloqueio rival e encarou Garay, os ânimos se exaltaram. Mas a ponteira brasileira respondeu com mais um ataque certeiro, e a seleção foi em vantagem para o primeiro tempo técnico (8/7).

E o Brasil cresceu. Com Adenízia no saque, a seleção disparou no placar e abriu 15 a 9. As russas contaram com um cochilo das brasileiras para ameaçar uma reação. Mas Gabi, com bela deixadinha, fechou a parcial: 25/19.

Encarada na rede entre Goncharova e Dani Lins

Mas a Rússia voltou ao jogo pelas mãos de Goncharova. Ao ver seu time apagado, a principal jogadora das rivais voltou a provocar as brasileiras. Depois de marcar o ponto e fazer 16/15, a russa encarou Dani Lins. Na saída para o tempo técnico, voltou a falar algo para a brasileira, que respondeu. Goncharova levou o amarelo, e a levantadora deu o troco ao marcar em bela bola de segundo tempo.

Só que o momento era russo. Os ataques brasileiros já não entravam, e o bloqueio era incapaz de parar as rivais. A seleção ainda sonhou com uma reação, mas acordou com a pancada de Kosheleva, que fechou o set em 25/22 e levou a partida para o tie-break.

No retorno à quadra, as provocações russas continuaram. O juiz, então, tirou o vermelho do bolso e mostrou para o técnico Iuriy Marichev, dando um ponto para as brasileiras logo no início do tie-break. A ajuda extra foi comemorada, mas o Brasil mostrou que nem precisaria tanto. Melhor na parcial, a seleção chegou à vitória no bloqueio de Monique: 15/8.

G1