BESSA GRILL
Início » Cidades » Fiéis lotam igreja no Subúrbio do Rio para festejar o Dia de São Jorge

Fiéis lotam igreja no Subúrbio do Rio para festejar o Dia de São Jorge

Vestidos com roupas vermelha e branca, cariocas acenderam velas. Paróquia no Centro da cidade também ficou lotada, nesta terça (23).

23/04/2013 15:45

Fiéis lotam a igreja em Quintino, no Subúrbio do Rio, na manhã desta terça-feira (23).  (Foto: Renata Soares/G1)Fiéis lotam a igreja em Quintino, no Subúrbio do Rio, na manhã desta terça (23) (Foto: Renata Soares/G1)

Para comemorar o Dia de São Jorge, fiéis lotaram a igreja em Quintino, no Subúrbio do Rio, na manhã desta terça-feira (23). Vestidos com as tradicionais cores branca e vermelha, cariocas acenderam velas, colocaram flores e fizeram promessas ao santo. A celebração ao ‘Santo Guerreiro’ começou às 5h com uma missa.

A partir das 9h até às 15h haverá uma cerimônia religiosda de hora em hora. Às 16h, acontecerá uma procissão de homenagem ao santo, que sairá da Rua Clarimundo de Melo, que está fechada devido ao evento.

Suzana Dias, de 33 anos, é táxista e devota de São Jorge. (Foto: Renata Soares/G1)Suzana Dias, de 33 anos, é táxista e devota de São
Jorge. (Foto: Renata Soares/G1)

Outras igrejas e paróquias também preparam uma programação especial para comemorar o Dia de São Jorge. Entre elas, as igrejas do Centro e de São Cristóvão.

A taxista Suzana Dias, de 33 anos, comparece todo ano à igreja de São Jorge. Sendo que este ano, ela tem um motivo especial: trouxe o filho Victor Dias, de 8 anos, para homenagear o santo.

“Eu venho todo ano, mas por ser muito cheio, eu nunca o trouxe. Desta vez ele se animou e veio. Temos que ter fé sempre. Sou muito devota”, contou Suzana.

Reforço no orçamento no dia do ‘Santo Guerreiro’

Vendedores de flores aproveitam o feriado para reforçar o orçamento. (Foto: Cristiane Cardoso / G1)Vendedores de flores aproveitam o feriado para
reforçar o orçamento. (Foto: Cristiane Cardoso / G1)

A Igreja de São Jorge,  no Centro, também ficou lotada por volta de 8h desta terça-feira (23). Quando a missa campal começou, a fila dava volta no quarteirão da Avenida presidente Vargas, uma das principais vias da cidade.

Houve quem exercitasse a fé, reforçando o orçamento da família. Luciana Pires, que comercializa flores no dia do santo há dez anos, contou que vendeu cerca de 600 flores só nas primeiras horas. Cada rosa custa R$ 2. O gerente comercial, Maurício Tavares, de 27 anos, vem há quatro anos vender camisas de São Jorge, apesar de não ser devoto do santo.

“Só fabricamos essas camisas nessa época do ano. Não sou devoto, mas o patrão manda vender, vamos vender. Só pela manhã vendi umas 40 camisas”, contou o vendedor. As camisas estão sendo vendidas por R$ 30 com manga e R$ 25 sem manga.

G1