BESSA GRILL
Início » Destaque » Escândalo: Alunos de Direito do Unipê “rifam” garota de programa

Escândalo: Alunos de Direito do Unipê “rifam” garota de programa

O crime de facilitação da prostituição está previsto no artigo 228 do Código Penal Brasileiro. A legislação pune com pena de reclusão pelo período de 2 a 5 anos, além de multa, as pessoas que induzirem ou atraírem alguém à prostituição

24/05/2014 09:32

 
1QVSGDU-1O Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) instaurou sindicância para apurar a existência de uma rifa que estaria sendo usada por concluintes do curso de Direito da instituição com a finalidade de incentivar a prostituição. De acordo com a denúncia, que já chegou ao conhecimento da polícia, o bilhete estaria sendo vendido ao preço de R$ 10,00 e o vencedor teria direito a escolher uma acompanhante de luxo em um site de anúncios sexuais de João Pessoa e, com ela, passar uma noite em suíte de motel da cidade. Se for comprovada a prática, os alunos responsáveis poderão ser expulsos e ainda responder a processo criminal.

Um modelo da rifa foi entregue à Delegacia da Mulher de João Pessoa. Para a delegada Vanderleia Gadi, há indícios de que o material está sendo usado para a facilitação à prostituição. Por isso, ela vai instaurar inquérito para apurar o caso.

No bilhete, está descrita a premiação de R$ 600,00 ao vencedor. Deste total, R$ 400,00 serão pagos à acompanhante e os demais à despesa com o motel. Quem preferir, ainda poderá receber a quantia em espécie e não usufruir do programa sexual.

O crime de facilitação da prostituição está previsto no artigo 228 do Código Penal Brasileiro. A legislação pune com pena de reclusão pelo período de 2 a 5 anos, além de multa, as pessoas que induzirem ou atraírem alguém à prostituição.

Jornal da Paraíba